quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Você acredita? De verdade?

O Fantástico de domingo apresentou uma matéria com Camila Pitanga. Em um momento da reportagem, Antônio Pitanga fala sobre algo que sempre disse à filha: acredite em você. De outra maneira, ninguém comprará a sua idéia.

Mais do que isso, é preciso acreditar no seu desejo. Ontem, eu andava por uma loja de eletrodomésticos e pensava: uma passagem para tal lugar daria para comprar essa geladeira de inox.

Fui ficando meio nervosa, afinal tenho que mobiliar uma casa de cima abaixo. Do garfo ao pregador de roupas. Mas essa é outra história.

Tratei logo de sair da loja e fui ver outras coisas. Eu acredito no prazer que as viagens me trazem. Pessoas invejam, dizem que sou sortuda e bla, bla, bla, mas preferem ter uma geladeira de inox que gela o mesmo que uma branca. Já eu não acredito em geladeiras, acredito em viagens, em viver enquanto está vivo.  

Só nos sacrificamos pelo o que acreditamos, de verdade. Por isso, é preciso pensar muito bem no que você quer de verdade, porque as pessoas julgam, dão palpite, mas quem vai se dar bem ou se estrepar e lá na frente é você. Só você. E não há nada pior que a frustração de não ter tentado.

Se você acredita, vai em frente, seja com ou sem o aval do marido, pai, mãe, filhos. Quem diz: "Não faço porque meu marido não quer, meu pai não aprovaria..." Não acredita de verdade. Quem acredita, pode nem sempre alcançar, mas vai em frente.

Há anos tenho vontade de cursar psicologia. Minha mãe, namorado, amigos diziam: "outra faculdade? Vai perder tempo. Faz psicanálise que são só mais 2 anos." Demorei uns 3 anos pensando até que decidi: já estou até inscrita. Claro que tem um trilhão de contras, mas eu acredito e isso me faz ir em frente e não  apenas seguir um caminho mais cômodo = desistir.

Por isso, aproveitando que muitas de vocês ainda estão no clima de reluções de ano novo... Seja qual for seu desejo, sonho ou pensamento: Você acredita? De verdade?

29 comentários:

Klíssia disse...

Adorei o post! Acredito que muitas vezes alguns conselhos são bem vindos, mas independente deles temos que seguir os nossos, ponderar o dos outros, mas sempre seguir os nossos!!
Amei tudo por aqui, e segui em frente..rs!!! Bjinhos, parabéns!

Luyza Dantas disse...

Adoreii! Com certeza temos que ir atrás daquilo que acreditamos ser o melhor pra nossa vida. Textoo lindoo *-* bjoos

Luciana Klopper disse...

Eu que sempre me arrisquei por sonhos, ando num momento que não posso mais ficar me arriscando, acho que tudo é fase, enquanto se pode arriscar, vale a pena sim!

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Klíssia, bom ter você por aqui. Com certeza as mulheres que passam por aqui também vão aprender bastante com os seu comentários.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Luyza, bom que o texto serviu p vc!

Luciana, acredita, ao menos para mim, é completamente diferente de arriscar.

Mas vou fazer um post sobre isso, porque as pessoas acham que ter uma TV de plasma 90 polegadas em casa é mais seguro do que viajar ou comprar um barco.

Bom ouvir você, sempre.

Beijos

Sam Passos disse...

Flávia, vou te contar uma coisa... Eu sempre quis fazer um intercâmbio, e como era muito caro, meus pais não podia pagar, eu ficava pensando no intercâmbio de ser au pair nos USA, e tal, ou trabalhar na Disney, enfim... meus pais e minha família nunca me apoiaram ou fizeram nenhum esforço pra que eu fizesse isso. Tudo bem! Minha família, além de achar tudo muito caro pro nosso nível, ainda tinha o problema do apego sem limites a mim! Pra tu ter idéia eu consegui agora sozinha pra ser au pair na Inglaterra e eles não deixaram com medo de acontecer algo a mim lá... detalhe: hj eu tenho 28 anos! Infelizmente eu não sou independente deles financeiramente, eu trabalho mas até hj não tinha tido um emprego bom de verdade... apesar de ser formada em Fisioterapia e ter formação em Inglês tb. Mas esse ano o Senhor me abençoou com um emprego num curso de Inglês bom, onde eu vou ter uma carga horária boa que irá me garantir um bom salário. E desse salário eu quero juntar o máximo que eu puder pra fazer minha 1ª viagem internacional em 2012... :/ É gente, em 2012... nossa moeda não ajuda nem um pouco tb!!! :/ Mas, como vc disse, o povo palpita... uma amiga diz: "tá vendo que eu não vou me privar de ter as coisas aqui pra fazer uma viagemzinha só pra dizer que eu já fui pra fora!? Eu gosto de ter as coisas aqui, não vou me privar por uma coisa dessas"... só que eu vou! Eu vou deixar de comprar coisas pra mim, vou deixar de passear, vou deixar de comprar roupas, pq eu quero ir, eu quero sair desse mundinho pequeno onde eu vivo, eu gosto, eu anseio por aventura (saudável, of course!)... e pra mim vai valer a pena!!! Tudo que eu vou ver lá, vou fazer, bater fotos, comer... tudo vai valer a pena pra mim! E eu acredito que eu posso, sabe, e eu vou, com a graça de Deus!!! Com família com medo ou sem medo, eu vou, eu não tenho medo! Eu tenho medo é de ficar aqui estagnada!!! E vc, quer fazer sua Psicologia, faça! Pra vc não será perda de tempo... Deus te abençoe!!! :)

Lúcia Soares disse...

Adorei, SAM!
Vá em frente, busque seus sonhos!


Flávia, se eu fosse como você, certamente seria muito mais feliz!
Acomodei-me, sempre tive medos, sempre ouvi os outros, sempre segui o marido, que não gosta de se arriscar, só gosta de guardar $$$ e não aproveita a vida!
Agora estou em uma fase rebelde e vou começar a colocr as manguinhas de fora.
Aos 61 anos, com 3 filhos, quatro netos, uma mãe idosa que precisa de mim (mas somos 10 filhos, há de haver um pra cuidar dela enquanto saio, não?).
Nunca é tarde para acreditar, para realizar.
Basta ter saúde e boa vontade.
Não esperem, meninas que vêm aqui e eventualmente leiam esse comentário meu. Não esperem, acreditem, "briguem" com o mundo, mas não deixem de realizar o que querem.
Principalmente, JAMAIS abram mão de nada em nome do amor.
O amor verdadeiro não lhe cobrará nada, mesmo que "ameace". rsrsr
Beijo, Flávia!

Malu disse...

Muitas vezes nós deixamos de acreditar em nós mesmos por pura besteira...rss...medo, perfeccionismo, baixa auto-estima...e por aí vai...essa energia negativa que deixa a gente incrédula de nós mesmos passa a mensagem para as outras pessoas também, e elas nós enxergam da maneira que nós nos enxergamos...então, sempre repita mentalmente que vc é especial e tem seu potencial, algumas vezes não da maneira que vc quer, mas tem....
Pois é Flavia, existem pessoas que olham para o que vc adquiriu e pensa, poxa, essa aí nasceu em berço de ouro. Fico bem chateada com isso, pq ninguém sabe como o caminho foi difícil, o que vc deixou para traz, o que abriu mão...só sabem ver o resultado e julgar....eu acredito que vale a pena vc investir naquilo que vai te trazer tanta alegria...pq depois se vc não fizer, vai se lamentar....podendo ser tarde demais......

Beta disse...

Eu acredito.
Muitas vezes me desvio do caminho, esqueço um pouco, mas depois de um tempo lá vem o desejo, o sonho, e eu só fico na paz quando consigo. Não chegam a ser metas, mas são pontos de partida e chegada, entende?

bj

Luciana disse...

O que eu percebi pelos comentários e experiência de vida, inclusive no meu caso, é que os pais atrasam muito a vida da gente. Eu só vim parar na Noruega, casar e tals porque dei esse meu pulo do gato na moita, organizei tudo, só contei pra minha irmã e só informei meus pais e demais na família quando já estava tudo certo, tudo organizado e definido, porque sei que se eu tivesse comunidado desde o comeco, ia rolar muita negatividade, iam tentar me impedir e azucrinar os meus dias. Já com tudo resolvido eles só puderam aceitar, mas na verdade eles não acreditaram muito, a ficha só caiu bem depois.
Eu também quis fazer psicologia, mas minha mãe super me desanimava, colocava mil obstáculos, dizia que eu tinha que investir no que eu já vinha consquistando e não regredir.
Acho que quando a gente tem condicões de cortar este cordão umbilical mais cedo, em todos os sentidos, não somente o emocional, podemos crescer mais, acreditar mais e investir mais nos nossos sonhos. Bom, pelo menos é isso que tenho observado.

Beijo

Ana Paula de Oliveira Mazoni disse...

Adorei seu texto ... muito bacana quando se coloca experiências pessoais para retratar um determinado tema. Adoro quando seus textos são assim, porque conhecemos mais de você.
Nossa, sei que não venho aqui faz um tempo, e peço desculpas por isso. Mas voltei, e prometo voltar sempre!

Ella disse...

Queria ter aprendido isso antes...meu problema foi sempre ter ouvido meus pais, fiz faculdade e tudo mas hoje estou desempregada, vivendo às custas deles de novo e me sentindo uma peça perdida de quebra-cabeça.

Sei que estou sendo insolente, rs, mas gostaria que tu lesse meu post de hoje e comentasse algo para me alegrar.Poderia ? Ficaria feliz !

Obrigada e tudo de bom !

Van disse...

Nossa isso de acreditar é mesmo preciso e acho que não tem alguém nesse mundo que acredite mais do que eu...rsrsrsrsrs...

E tanto que, assim como você, um dos meus sonhos é cursar psicologia, em 2008 fiz um semestre mas tive de parar para dar uma guinada em minha vida (sempre acreditando). Ainda não foi dessa vez e vou partir para o plano, acho que D...

Vou fazer os cinco anos de Direito, enquanto estudo me preparo e VOU PASSAR num concurso público, para , assim que estiver firme na carreira, voltar ao meu sonho de sempre, estudar psicologia.

E no meio do caminho (antes dos 40 também...) vou ter meus filhos, vou amar muito, viajar muuuuuuito também porque amo, escrever muuuuiiito e acreditar sempre !

Adorei seu cantinho e já tô aqui de olho, te seguindo...Grande Beijo.

Universitária,eu? disse...

Difícil tomar decisões que só você sabe a importância que tem.
Precisamos abandonar nossa mentalidade de 'rebanho', de sempre querer ir junto com todo mundo, na direção mais conveniente para o grupo, quantas decisões tomamos baseadas na nossa própria vontade?? Pouquissímas vezes fazemos coisas por vontade própria...a maioria das vezes nos deixamos levar por terceiros...é mais confortável.
Por isso sua viagem é tão admirável...sua e de sua amiga companheira de viagem, que de acordo com o 'grupo' deveria estar chorando as pitangas por causa do ex e não viajando.

Claudia Acourt disse...

Nossa, estou alguns minutos olhando para o espaço dos comentàrios sem conseguir me expressar. Flavia, poucas pessoas cresceram ouvindo o que a Camila Pitanga ouviu do pai. Crescemos em um paìs em que até ontem nao se podia acreditar; com tantas incertezas crescemos acreditando que tinha que seguir a receita do bolo para ser feliz (sem sabermos que a receita estava errada) e aqui entra a familia e escola que, tantas vezes, nao sabem dar o empurrao para que fossemos para frente. Entao, como aprender a acreditar em nòs mesmos? Hoje sou chamada de arrogante pois acredito em mim e vibro com as minhas conquistas (e espalho a 4 cantos os meus feitos sem medo de ser feliz!). Vejo que as pessoas a minha volta, qdo confrontadas com as minhas conquistas, logo arrumam uma desculpa para se justificarem. Mas quer saber? No fundo tiveram medo ou aceitaram a receita do bolo.
Bjos

Albuq disse...

Adorei Flávia, hoje eu precisava ouvir isso, precisava me questionar sobre isso!

Bela Ju disse...

seu projeto 30 em 30 é inspirador
amei!!!

parabéns!
bjs
Julia Campanucci

Bela Ju disse...

seu projeto 30 em 30 é inspirador
amei!!!

parabéns!
bjs
Julia Campanucci

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Sam... que exemplo... Tenha certeza que muitas aqui vão ler e se inspirar no seu depoimento. Obrigada por compartilhar.

E que engraçada sua amiga. Cada um com seu cada um, né? rs

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Lucia Soares, que lindo! Estou arrepiada. O seu depoimento e o da Sam vão render um post em fevereiro, com certeza!

Obrigada por compartilhar aqui.

No meu livro "Intercâmbio: ai vou eu!" Tem o depoimento da Vilma, fiz questão´, porque ela fez o primeiro intercâmbio aos 60, tendo coragem, pela primeira vez, de deixar o marido de lado e ir sozinha.

As mulheres estão independentes financeiramente, mas não emocionalmente.

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Albuq e Bela Ju, que bom que se inspiraram, depois voltem para contar qual foi a ação!

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Gente, eu não sei qual comentário está mais lindo e perfeito aqui!

Mas, o que a Universitária, eu? escreveu merece um post:

"Precisamos abandonar nossa mentalidade de 'rebanho`." Esse vai ser post com certeza.

Claudia, você sempre com boas avaliações, você, com certeza, saiu do rebanho!

Bjos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Van! Vamos ser colegas de profissão? Eu te analiso e você me analisa, combinado? rs

Ella, estou indo lá ver seu post e comentar!

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Ana Paula, não tem que se desculpar por não vir aqui, o importante é voltar, porque é sinal de que sentiu falta!

Vou te fazer uma visitinha também! Bjo

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Luciana da Noruega, você já sabe que sou fã de seus comentários, mas esse foi ótimo de ler por poder saber um pouco mais sobre você.

Com os depoimentos bacanas que faz aqui sobre seu marido, com certeza, você pagou para ver, acreditou e fez a melhor escolha!

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Malu, lindona, eu já sofri bastante na vida, cada um com a sua carga e sei que os buracos da vida e julgamento do outro fazem a gente desanimar. Mas... Essa é uma opção de vida. Não adianta culpar o agorento depois que você desistir.

Beta, adoro ter voce por aqui.

Beijos

Georgia disse...

Hey Flávia, sabe que eu ia te escrever falando sobre isso? Que vc precisa fazer uma faculdade de psicologia? Sim, porque vc qdo escreve toca fundo no problema de todas nós, mas precisa preparo e uma faculdade vai te dar muito respaldo, preparo, outro tipo de visao. Eu te apóio totalmente.

E eu qdo fiz a minha faculdade, adorei, amadureci, aprendi a tratar das minhas "crises", rs.

Um bjao e siga em frente com a faculdade, nao a deixe somente no post dos desejos, viu. Realize, concretize.

A Princesa - Maquiavel para mulheres - Por Ellen Lira disse...

Flávia, é incrivel o quanto me identifico com os seus textos. Preciso reformar a minha cozinha que anda um tanto caidinha, feia mesmo, mas estou fazendo as malas para mais uma aventura pelo mundo. Eu não acredito que uma viagem me fará mais feliz que ter uma cozinha reformada.
Sei que muitas pessoas me invejam e criticam: lá vai ela de novo mundo a fora, está sem carro, a cozinha precisa de reformas e blá, blá, blá...
Mas eu não estou nem aí. Trabalho o ano inteiro, sustento a mim e a minha filha sem ajuda de terceiros e penso que, mais do que qualquer outra pessoa, eu preciso me fazer feliz.
Seu post é um bálsamo. É bom saber que existem outras mulheres que comungam desse mesmo ideal: ser feliz.

Priscila disse...

Olá! Parabéns pelo post, super motivador!! Tenho só 23 anos e MORRO de medo de tomar decisões na minha vida!! Prestes a fazer um intercâmbio (ou não, pois o medo sempre está a minha frente) li este post e tomei um chá de ânimo e coragem para enfrentar o "novo" :)
Abraços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...