segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Quem está certo? A mãe do B., do D. ou o Tas?

Estava passando os canais na TV ontem a tarde e, por algum motivo, parei no programa do Raul Gil. Era o quadro “Para quem você tira o chapéu?”. O convidado Marcelo Tas tinha acabado de tirar o chapéu para a juventude que fica horas na internet. E sua explicação foi pior que o ato. Entre as inúmeras asneiras que falou ele disse:

- Às vezes os pais ficam reclamando que o filho está trancado há horas no quarto e que precisa sair para se comunicar e conviver com outras pessoas, mas eles não entendem que ele está se comunicando com o mundo. Que está no msn falando com vários amigos.

Segundo ele, temos muito o que aprender com esta nova geração que não sai do computador.

Pois se eu pudesse falar com o Marcelo Tas diria o seguinte:

Tenho dois primos de 11 anos. A diferença de idade entre eles é de apenas 3 meses.

O primo que vou chamar de B. tem limite para ficar no computador, a mãe o incentivou a participar da banda da escola, de início ele não gostou, mas hoje está tão empolgado que já entrou na aula de violão também. A mãe o estimula a ler livros, não aceita que ele tire notas abaixo da média, faz aula de inglês e brinca na casa dos amigos. O pai dele é analista de sistemas, mas não acha certo uma criança ficar o dia inteiro no computador. Segundo ele, duas horas é mais do que o necessário.

Já o primo D. fica no computador o dia inteiro. Não faz uma única atividade. Não queria participar da banda do colégio e a mãe disse: “tudo bem.” Acompanho as entradas dele pelo MSN e 2 da manhã este menino está conversando com sei lá quem. Um dia, entrei no computador dele e só tinha música. Minha tia acha o máximo o filho “dominar” a internet. Ela mal consegue pagar as contas, mas paga internet banda larga para D. teclar 24 horas.

Este tempo diante do computador influi na personalidade da pessoa. O primo B. tem assunto, tem vida e é amoroso. O primo D. já foi tudo isso e muito mais. Era um menino alegre, engraçadíssimo e até bem mais sociável que o B . Hoje em dia, mal sabe abrir a boca para conversar e, quando damos conta ele já está no computador jogando tão vidrado que os olhinho nem piscam.

Dizer que adolescente usa computador para pesquisas, é mentira. 5% do tempo é pesquisa e o restante Orkut e MSN. O professor do meu irmão de 16 anos só aceita trabalho feito à mão, porque sabe que a maioria dá crtl C, Ctrl V para poder voltar correndo para as salas de bate-papo.

Na Marie Clair desse mês tem uma pesquisa feita com adolescente cujos pais conversam abertamente sobre os perigos da rede. Mas... 58% desses adolescentes admitiram que, mesmo sabendo dos riscos, mesmo tendo pais abertos e amigos, eles frequentam páginas proibidas.

Deixar um jovem trancado horas a fio em um quarto “conversando” é no mínimo um crime, porque a função dos pais é guiar, direcionar, mostrar opções. A internet é uma ótima ferramenta, mas é só isso. Viver é no mundo real, não no virtual.
Mas, como não sou dona da verdade, nem quero, só me resta questionar: Quem está certo? A mãe do B., do D. ou o Tas?

14 comentários:

Cheers! Fla disse...

Oi Flavia,

Olha eu aqui na internet :-)

Eu fico pensando nisso as vezes, quero que a Victoria faca atividades, nao fique soh na frente da TV ou do computador, mas tbem fico imaginando como sera tudo isso em 10 anos, acho que a tendencia eh soh piorar, pois a tecnologia soh vai se desenvolver.
Bom, quando a hora chegar chegou, daqui a pouco estarah batendo na minha porta e nem vou ver o tempo passar, acho que o importante eh comecar de pequenininha mesmo, levar para visitar museus, passear, fazer atividades do lado de fora...

bjs

Anônimo disse...

Flavia, concordo com vc. Como mãe, acho q filho tem de estar PERTO, GRUDADO com os pais. Para receber carinho e direção. Minha filha já é grande, mas assim como não a criei com TELEVISÃO, não a criaria com internet.
Primeiro de tudo é Olhos nos olhos, mão no ombro do filho, atenção e orientação.
Segundo, muito livro, ida a museus, teatros, bibliotecas, livrarias, parques, mosteiros barrocos, enfim ARTE.
Terceiro, vida simples com respeito mútuo.

Nada substitui a presença e o carinho. Internet é detalhe.

Parabéns pelos comentários, Flavia.

Miriam Machado

Garota em busca disse...

O que acontece eh: eh muuuito mais facil deixar sua crianca na frente da TV ou do computador do que planejar coisas interessantes... sabe, da muito trabalho prum pai/mae levar a crianca no parque, matricular em outros cursos... deixa o coitadinho na frente da tv ue, assim ele nao vem me encher o saco... aiai... ainda bem que minha mae nao foi dessas... rs

meus instantes e momentos disse...

muito bom o post. E a coisa vai realmente por aí,
mas no mundo em que estamos vivendo , principalmente aqui no Rio, prefiro muito mais um sobrinho, em páginas proibidas(?) na net.
que nessas páginas proibidas que os jornais vivem mostrando.
Temos apenas que saber dosar.
Maurizio

Vivi Bastos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivi Bastos disse...

Se tivesse filho, imporia limites ao uso da net. Sou a favor da moderação em tudo. Quantas pessoas conheço que sofrem de ansiedade digital...
Adorei a reflexão!
Beijos

Anônimo disse...

Tenho dois filhos q reclamam pq os pais dos colegas deixam eles ficarem horas na internet eu eu não. Mas aqui é assim, sou como a mãe do B. Quero meus pequenos tenham acesso a web mas também as maravilhas do mundo. Como disse a Cheers! Fla no primeiro comentário, tem que levar a museu, livraria, parque, desde cedo. Estou fazendo minha parte.
Muita bom falar sobre isso.

Beth, mãe que nao concorda com o Tas!

Drunken Alina disse...

Ah, eu tb acho um absurdo gente que passa o dia inteiro na frente do pc, porque realmente, trocam a vida real pela virtual!!
E desaprendem a interagir totalmente!
E olha que eu sou viciada, checo orkut e blog o dia inteiro, mas não troco uma saída, uma festa, uma praia ou um saimples passeio por internet não.

Adorei o blog =)

Beijos!!

Shirley Sanches Alves disse...

olá Flávia!!!

Adorei o post e este é um dos "causos" que vivemos sempre que nos deparamos com mãe de crianças de no mínimo 7ou 8 anos.
Tenho também sobrinhos que estão nesta fase, um deles bem jovem, com 8 anos já fica o dia todo na internet e detesta atividade física. Meu marido, profissional de ed. física, se acabou para o menino ter gosto pelo futel, e ele agora está indo obrigado ao tae-kwon-do. Mães á luta, é o que nos resta neste mundo onde mãe vai a luta, pois ajuda na renda familiar e os filhos ficam com as famosas ajudantes do lar ou com avós, que fazem tudo que estes pentelhos querem.

Bjs e obrigada pelo comment no meu blog!

Carolina disse...

Respondo (gritando) que a mãe do B está mais do que certa!
Tenho filha adolescente que é fissurada em internet e não nego que eu tbém gosto e muito, mas aqui em casa tem regras porque senão vira carnaval e acho que internet não é estilo de vida e por mais violência que exista na minha cidade ainda prezo por atividades físicas, encontros não virtuais e vida super normal nesta fase da vida que passa muito rápido.
Acho que muitos pais usam a internet como transferência de responsabilidade.
Por mais que encurte distâncias nada substitui a vida lá fora, as relações, uma boa viagem e um bom livro. A internet é somente um facilitador.

bjos meus

Kall disse...

Concordo com vc sim Flavia..eu mesma tendo 28 anos tenho pais que pegam no meu pé..rs
E meu pai disse que se depender dele continuarei sem net em casa pelo simples fato de passar o dia em frente a uma tela de computador.
Mas por outro lado eles sabem do bem que me fez como em tudo na vida..rs
Graças ao computador cresci em alguns termos,aprendi muito,mfiz muitas amizades mas aqui tb sofri por acreditar nas pessoas erradas e entregar tesouros que nao poderia ter entregue...tuso serviu p minha base.
Hoje to com uma prima de 15 anos que infernizou tanto a mae que acabou sendo vencida e lhe deu banda larga,onde seu pc fica no quarto,sua mãe trabalha e ela fica com a avó que mal entende sobre net...por isso sobrou p quem ficar no pé..rs
ontem mesmo tive um papo aberto com ela e espero que ela tenha entendido o que quis dizer.
infelizmente nossos jovens estão ficando lentos de raciocio e chatos na convivencia dia a dia..o que é uma pena mesmo.
Por isso como vc acho que por limites é sempre o mais saudavel.
Sobre o Tas é a 2º vez que ele fala isso..a 1º foi na MTV no programa Gordo Entrevista.
Um beijo grande querida.

JAMINE BRUNO disse...

acho que tudo tem que ter limite. inclusive a internet. nada demais e bom. temos que buscar o meio termo e, por isso, concordo com a mae do b.

bjos pra vc flavia ;-)

Lucia Cintra Stevenson disse...

Tenho pena do seu primo D, pois vai ficar completamente antisocial e nao vai saber como se relacionar com o mundo, situacoes ou pessoas mais tarde. Fora a vida dele acabar ficando completamente insatisfatoria, um dia ele vai ver isso.

E quem e' esse Taz? Espero que nao tenha filhos, pois senao coitado deles.

Os seus tios, pais de B estao de parabens. Eu ja mencionei uma vez que se um dia decidir ter filhos, que eu vou ser uma mae chata, pois imporia mts limites, mas seriam somente pro bem deles. Bjos

wendy disse...

O certo é usar da coerência.
Quanto tempo a mãe deles fica na iternet?? eu fico o dia todo, trabalho sentada na frente do pc. Antes usava mesmo mais pra Orkut e msn, agora passo minhas horas vagas postando e lendo blogs.

Davi, meu filho de cinco anos, adora tudo que tenha a ver com informação. Mexe em tudo. Se deixar fica hooooras no pc. Desenhar no PAINT e jogar no pc. suas coisas "poferidas" mas não deixo. Mesmo sendo eu, dependente de internet.

Agora, eu ME colokei uma regra.. net, na semana, soh no trabalho. nada de internet em casa. soh nos fds. e soh se vir filme, ler, ficar com davi e sair.

Me impus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...