segunda-feira, 22 de março de 2010

Como escolher entre amor e carreira?

Acabei de entrar para o Guinness Book como a pessoa que mais tempo demorou para ver o seriado Friends completo. Cinco anos, com louvor.

No último CD Rachel fica dividida entre aceitar um emprego em Paris na Louis Vuitton ou ficar em NY trabalhando no mesmo emprego na Ralph Loren. Após um longo dilema pessoal escolhe o segundo.

Suas dúvidas eram sobre todas as coisas novas que vivenciaria em Paris. As descobertas, novos amigos, novos ares.

Algumas pessoas nascem abençoadas por terem encontrado o amor de suas vidas e por eles largar tudo. É uma certeza tão absoluta que não há nem o que pensar: é ele e pronto! Um dilema a menos.

Mas a maioria dos pobres mortais, por vezes, tem que escolher. Nunca se sabe se aquele cara é O CARA. E se o casamento acabar? Fiquei sem nada?
A carreira é diferente de trabalho. Trabalhar todos trabalham, mas construir uma carreira é mais complexo. Exige muito mais.
Às vezes, não comporta um amor. E nem sempre o amor aceita ser vivido pela metade. Filho, põe na creche, mas e marido / namorado? Põe numa creche para adultos? Ou dá para outra cuidar enquanto você está ocupada fazendo seu futuro profissional?
Quando um quer ser mega, ter carreira top, é preciso que o outro abra mão além do normal. Veja Ana Hickman. Seu atual marido abriu mão de sua profissão para segui-la pelo mundo como seu agente. Ela virou top, bingo!
Por isso, desde que cruzei a reta final do seriado e conforme vou vendo que amor e carreira lá no topo nem sempre combinam de serem construidos ao mesmo tempo... fiquei pensando... Como escolher entre amor e carreira?

17 comentários:

Bia Mendonça disse...

Flávia, acho que como vc mesma colocou... quando chega lá no topo, nem sempre amor e carreira combinam, e ai a pessoa tem que pensar o que é o mais importante para ela e optar.
Nesse momento, penso que carreira é algo mais "seguro", pois relacionamentos, acho que nem quem tem essa certeza absoluta tota, pode mesmo garantir que vai dar certo. Na carreira é vc, por vc mesma, trabalhando para chegar onde quer. Relacionamentos hj em dia é algo sem garantias nenhuma, hoje dá certo e amanhã já não dá mais. Jogar tudo para cima para viver um amor é lindo, mas é também meio idiota, principalmente se a gente acabar sem nada.

Boa semana para vc!

bjs

Desabafando disse...

Gostei da abordagem do texto mas me sinto incapaz de responder sua pergunta. Acho que isso é algo muito pessoal. Todas escolhas que fazemos tem seus riscos, vantagens e desvantagens. Depende muito do que cada um está procurando em determinado momento de suas vidas. O que sou contra é a pessoa ficar totalmente dependente do companheiro, tanto emocionalmente quanto financeiramente e deixar de ter uma identidade própria e interesses próprios.

Luciana Klopper disse...

Mto dificil realmente, porem a pessoa q se anula não pode ser feliz completamente!

Beta disse...

Primeiro: amo friends...rs
Segundo: eu escolheria o amor...

Flavia, tem sorteio lá no MIX, passa lá para se inscrever.

bj

Lucia Cintra disse...

Eu tive sorte de encontrar o amor da minha vida cedo, mas jamais deixaria passar uma oportunidade dessas.

Meu marido mesmo ja mencionou que me acompanharia onde quer que eu va (pois as vezes tenho umas ideias meio loucas), mas no caso dessa personagem do seriado Friends: eu fiquei danada com o final dele!

Achei que a mulher estava desperdicando uma chance maravilhosa e detestei eles acabarem o seriado com ela escolhendo ficar com o Ross e largar tudo. Eu nao teria feito isso de jeito nenhum.

Bjos

Linda Carioca disse...

Essa pergunta é muito difícil de ser respondida.

Se uma pessoa está solteira vai dizer que opta pela carreira mas se está em um relacionamento (e feliz) ela tanto pode optar pela relação quanto pode também ficar na dúvida... por que veja, dinheiro não traz felicidade (tanto é verdade que tem gente rica com depressão e gente pobre que ri à toa !)

Veja como é, a gente sabe que não deve ser dependente nem financeiramente e nem emocionalmente de ninguém... mas quem consegue realmente ser completamente independente ?

Eu prefiro pensar assim... se fosse uma excelente oportunidade então eu chamaria o meu amor pra ir junto comigo !

Linda Carioca disse...

Ah, obrigada pelo elogio que deixou no meu blog, beijo !

Laly Ribeiro disse...

Eu escolheria minha carreira, com certeza!!! aliás escolehria não! Escolhi. Rs.

ALİ EKBER ÇELİK disse...

maravilha
Blog
parabéns

Linda Carioca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
♥ Erika Saab disse...

Situação difícil mesmo. Há uns dez meses atrás o meu marido precisou ser transferido, estávamos casados há seis meses e eu não tive dúvidas de que deveria seguí-lo. Naquele momento, era a cosia certa a fazer, apesar de ter passado um bom tempo me sentindo péssima e triste pelo atraso na minha vida profissinal e pelos dias terem se tornado tão longos e difíceis de preencher.Agora, consegui me recolocar no mercado e estou tentando recuperar o tempo perdido, mas muito em breve, terei que fazer essa opção de novo e ainda não decidi como farei dessa vez, não há coisa mais difícil para mim, confesso que estou esperando um milagre acontecer para não ter que resolver...Acho que não é só uma questão de grana, mas que mexe muito com a auto-estima de uma mulher acostumada a ser independente e cheia de compromissos. Conheço mulheres que colocaram a carreira em segundo plano pelos maridos, e outras que estão "casadas à distância" para poder investir na profissão e pelo que eu converso com elas, as do segundo time me paracem mais felizes, mais realizadas e mais admiradas pelos maridos, pode ser tudo da boca para fora? Pode. Mas que as do primeiro time reclamam muito mais, reclamam...

♥ Erika Saab disse...

Situação difícil mesmo. Há uns dez meses atrás o meu marido precisou ser transferido, estávamos casados há seis meses e eu não tive dúvidas de que deveria seguí-lo. Naquele momento, era a cosia certa a fazer, apesar de ter passado um bom tempo me sentindo péssima e triste pelo atraso na minha vida profissinal e pelos dias terem se tornado tão longos e difíceis de preencher.Agora, consegui me recolocar no mercado e estou tentando recuperar o tempo perdido, mas muito em breve, terei que fazer essa opção de novo e ainda não decidi como farei dessa vez, não há coisa mais difícil para mim, confesso que estou esperando um milagre acontecer para não ter que resolver...Acho que não é só uma questão de grana, mas que mexe muito com a auto-estima de uma mulher acostumada a ser independente e cheia de compromissos. Conheço mulheres que colocaram a carreira em segundo plano pelos maridos, e outras que estão "casadas à distância" para poder investir na profissão e pelo que eu converso com elas, as do segundo time me paracem mais felizes, mais realizadas e mais admiradas pelos maridos, pode ser tudo da boca para fora? Pode. Mas que as do primeiro time reclamam muito mais, reclamam...

Nathalia disse...

Ultimamente estou passando exatamente por esse dilema.
O que escolher carreira ou amor?
Somos pessoas únicas e temos escolhas diferentes e valores diferentes. Mas posso deixar minha opinião, o que realmente é importante para mim? Sempre me pergunto, por que vivemos nesse padrão de vida? Quem disse que o certo é crescer, estudar e criar uma carreira (e quem sou eu pra dizer que não é)?
Acho que a dúvida existe porque os valores mudaram, e se tudo fosse guiado pelo AMOR, será que estaríamos vivendo em um mundo cheio de ganância, ódio, miséria, desigualdade...
Acredito que quando amamos verdadeiramente a dúvida não existe, como poderia me arrepender de escolher o amor se é o que meu coração deseja!
Mas e se não der certo? E se o relacionamento acabar? Eu teria “perdido” a carreira, mas nunca me arrependeria de ter seguido o meu coração, pois uma coisa é certa o AMOR nunca acaba ele só muda de “forma” , na dúvida siga o seu coração.
Deixo abaixo um texto muito lindo que fala sobre o amor:
I Corintios 13
1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.
2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
3 E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
9 porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos;
10 mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado.
11 Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o AMOR.

Anônimo disse...

La ringrazio per intiresnuyu iformatsiyu

Anônimo disse...

Bom, também optei pela carreira, apesar de gostar muito mas muito mesmo da minha namorada, ela nao intendeu, sabia que ela seria a pessoa certa, mas nos dias de hoje nao podemos deixar as oportunidades escaparem....

Obs: ela encontrou outro 1 semana depois de terminarmos, então fiquei na duvida de que se era mesmo a pessoa certa,

Felipe- Astorga

Anônimo disse...

Pois é... essa dúvida surgiu pra mim e por incrivel que pareca fiz a escolha errada, escolhi o amor... 5 anos lutando para tentar me colocar no mercado, na véspera de um dia importante meu marido chega pra mim e diz que nao da mais, que o pouco tempo que tinha lutando para me realizar no mercado de trabalho era muito tempo para ele, enfim, perdi marido, perdi a oportunidade... Agora vou comecar tudo de novo, sozinha... com o coracao partido, mas com a certeza de que alguem la em cima me mostrou o caminho correto...

Anônimo disse...

E quando a oportunidade de carreira, vem justamente dentro da MESMA EMPRESA, onde não se permite o relacionamento entre colegas????

tenho 31 anos e ela 40. Ela já é independente, bem sucedida financeiramente, porém não tem filhos e saiu de dois casamentos.
Eu estou vivendo a inconstância profissional, hora empregado, hora não, por conta do mercado. E atualmente, trabalhando em algo que não gosto e que não é minha formação.
Estamos juntos há apenas 5 MESES! até pouco tempo atrás, diria que não teríamos futuro, por conta de algumas diferenças.. tanto financeiras (pois faz diferença sim ela ser a "dama" e eu o vagabundo), a idade (9 anos, parece que não, mas nessa fase da vida, ela quer definições e segurança. E eu, homem que, por natureza já é mais imaturo, buscando me fazer profissionalmente e ter segurança financeira.
Tem a questão familiar tb. Eu quero família. Filhos, casamento, etc..
Ela tb quer.. mas tem conseguido engravidar (e olha que temos tentado tb, viu?)

Somos muito parceiros, alegres, divertidos, sem frescuras e na cama então.. UAU! tanto ela quanto eu, atestamos que não houve nada melhor sexualmente em nossas vidas.

Mas acontece que, ela, é a "bambambam" dentro da empresa.... e sempre me fala mto bem de lá... ao ponto de eu SONHAR em um dia estar em uma empresa sólida..

Acontece, que surgiu essa vagas! melhor do que esperava.. na minha área pra fazer o que amo fazer....
E ela praticamente me ajuda a entrar... possibilidade de carreira total.... com crescimento e fazendo o que amo.. (sim, exageradamente do jeito que sempre mentalizei, sonhei e pedi a Deus...) "A" oportunidade!


Masnão há chances de ficarmos juntos caso eu dê o meu "sim" a essa vaga.... porque eu seria da equipe dela, responderia a ela... e ela, é muito correta e preza por ser exemplo dentro da empresa. Sem falar que, tb veio a promoção dela.. E "mentir" ao nosso respeito, seria jogar no ralo as DUAS CARREIRAS....

mas as escolhas são as seguintes:

1 - Aceito a proposta, me faço profissionalmente, mas precisarei me afastar dela
2 - não aceito a proposta, fico com alguém muito legal que me faz bem porém, patinando profissionalmente tb....


Não vou mentir.... sendo racional, decido pela oportunidade. Preciso pensar em mim e saber que, preciso contar com minhas forças.. independente agora, da questão idade, filhos, etc.... com qualquer pessoa que eu venha a ficar, preciso ter nítido que, pode não dar certo, e precisarei contar comigo.....
Mas mesmo assim, há o sofrimento.... não tem como não pensar, o quão especial ela se tornou na minha vida... o quanto é bom ter essa rotina já estabelecida com ela..
de dormir na casa dela, de ter a chave da casa e do portão (rsrs)...

enfim..... é algo que não consigo racionalizar.... e meu emocional, é mto aflorado. O que pode atrapalhar muito tb a minha vida e evolução..

Gostaria de saber a opinião de vocês

Obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...