sábado, 7 de março de 2009

No que devemos voltar atrás?

Ontem dei uma longa entrevista para a uma rádio. Um entrevistador simpático, chamado Geovanni, fez o papo sobre o Dia Internacional da Mulher rolar de forma descontraída e engraçada.

No meio da conversa eu disse que não divido conta e quero que o homem abra a porta do carro para mim. Ele deu uma gargalhada gostosa. Então, eu expliquei que não era frescura, mas uma questão de matemática mesmo.

- Quando vamos encontrar um homem pela primeira vez, fazemos as unhas, pé e mão, cabelo, maquiagem, se for ocaso, roupa nova, sapato também!

- Então, nós já vamos encontrar com vocês com um débito? É isso? - ele disse com graça.

- Exatamente! É uma questão de fazer contas! Se não pode pagar a conta de um restaurante caro, me leve para comer um pastelzinho na praça. Pagar a conta é uma homenagem ao trabalho que tive me arrumando para você!
Aí ele perguntou se eu namorava. Eu disse que há dez. E nunca, nunquinha, dividi uma conta e até hoje meu namorado abre a porta do carro para mim. É uma delícia!!! Tão natural! Tão singelo... Então ele disse que sou sortuda.
Mas acho que não é bem sorte. Claro que existem casos e casos. E crises também. Mas acho que o romance se mantém nessas bobeirinhas antigas.
Temos um casal de amigos que de tão moderno chega ser feio. Quando saimos juntos, ele automaticamente diz a ela: "sua parte é tanto." Mesmo que seja 10 reias! E o cara tem dinheiro. Eu pegaria e pagaria tudinho! Ficaria menos deselegante.
Por isso, fiquei pensando que nesse dia tão importante de reflexão, deveríamos pensar não só nas conquistas mas...: no que devemos voltar atrás?

18 comentários:

sheila alvarenga gogoi disse...

Engraçado, as mulheres só são feministas qdo lhe convém!

Eu quase sempre namorei caras mais pobres e digo aqui, COM ORGULHO, que EU PAGAVA não só a minha parte, como as dele!

Não é questão de delicadeza ou não, mas eu acho:

1- isso de quem paga a conta é irrelevante, é assunto de cada casal e não deve ter regras qto a isso
2- Deve pagar quem esteja melhor de grana no momento, ou quem queira fazer uma gentileza, etc. Como eu já disse, isso não deveria ser um assunto tão polêmico assim.

3- E homens não se produzem? Se a mulher comprou roupa e foi no salão se empetecar pro primeiro encontro, azar o dela!

Mas, de jeito nenhum acho q é obrigação de homem pagar as contas da mulher. A menos q ele faça muita questão (ou seja muito idiota)

sheila alvarenga gogoi disse...

Ah, tem "tarefa" pra vc ;)

Vai no meu post "666" =)

Bjs!

Claudia Acourt disse...

Sim Flavia, nao é questao de pagar a conta mas sim de baixar a guarda diante de tantos avanços femininos. É como se tivessemos que seguir a cartilha da revoluçao feminina em todas as linhas sem esquecer uma linha. Se isso acontece, é como tornar a época das cavernas.

Cheers! Fla disse...

Oi Fla,

Como a Claudia disse nao acho que deve ter regras nisso. Eu nao tenho o minimo problema em dividir a conta ou ateh pagar tudo, na verdade agora nao tenho esse problema, pois sou casada, mas antes, sempre pelo menos oferecia para pagar. Nao esquento com isso nao.

bjs

Lilica disse...

Concordo em gênero, número e grau! Cavalheirismo nunca sai de moda! Beijos

Manu disse...

Concordo contigo!

Juuuu disse...

Acho que não deve ser uma regra, mas é uma gentileza, um mimo que pode ser feito sempre que possível!
beijos

Bree Van de Kamp disse...

eu pago, meu namorado paga, a gente racha, tanto faz...

Fabianne disse...

Eu sempre fui do tipo moderno - em tudo - na minha vida. Nunca tive probelmas em rachar conta. Mas, por experiência própria vi q os homens, com isso, passam a te ver como MAIS UM DOS CARAS. A gente fala em revolução, mas p eles, MENINA É OUTRA COISA. Então...

Lucia Cintra disse...

Bom, como ja sou casada faz um tempinho, nao importa quem paga o que, pois o dinheiro vem da mesma conta bancaria que dividimos. Antes de nos casar tb nao ligava quem pagava, pois eu ja tinha meu dinheiro e minha independencia.

Al sempre foi um homem muito gentil, e ate hoje, depois de 11 anos juntos, ainda tb abre qualquer porta pra eu entrar primeiro. Me levava pra sair, mas sempre fiz questao de tb contribuir. Uma vez ele pagava, outra era eu. Nunca achei certo do homem TER que pagar tudo pra mulher e se fosse o caso, me sentiria bem constrangida.

Nos dois sempre fomos pessoas muito independentes nesse ponto, e acho que em qualquer relacionamento, a mulher tb deve fazer essa gentileza e pq nao entao pagar algumas contas? Na minha opiniao, tem que haver igualdade, pois mostra respeito.

bjos

Carolina disse...

Parabéns pelo nosso dia... que são todos!
Bjos queridos pra ti!

Dri - Everywhere disse...

Concordo com a Lucia e com a Claudia, mas entendo o ponto da Sheila.
Eu sempre fui namorada metida a faminista, e achava um absurdo homem querer pagar alguma coisa pra mim!
Mas depois que sai do Brasil passei a enteder melhor essa coisa do cavalheirismo, e hoje em dia nao ligo se eu que pago, se ele paga ou se dividimos a conta.
No Brasil os homens tendem a "abusar" do feminismo e acham que se a menina topa rachar a conta, entao nunca mais eles precisam fazer nada em troca.

No meu caso, as vezes ele paga, e as vezes eu pago, mas temos uma conta conjunta e quem fica com o cartao sou eu, entao geralmente eu que pago a conta, mas o dinheiro eh dos dois.
Mas jah tivemos situacoes (na Asia) que as pessoas se sentem TAO constrangidas com mulheres pagando contas, que eu passava o meu dinheiro em baixo da mesa, e assim era ele quem "pagava" a conta, mas o dinheiro vinha igualmente dos dois, ou era todo meu.

Meu marido eh super romantico e super cavalheiro, daqueles que comprar flores sem motivo, compra presentinhos porque achou que eu ia gostar, etc, etc mas ao mesmo tempo, nossos salarios sao bem parecidos, entao nao acho justo que ele gaste mais comigo doque eu com ele, pois no final eu estaria juntando mais dinheiro (ou gastando em coisas pra mim mesma) enquanto ele gasta por nos dois.

Acho que ao longo de cada relacionamento essas coisas vao se formatando, e cada casal se adapta como acha melhor. Ele gosta muito de sair pra jantar, entao muitas vezes ele paga nosso jantares legais; e eu gosto muito de viajar, entao geralmente pago nossas passagens e tal... e assim vamos mantendo o equilibrio do relacionamento...

Drunken Alina disse...

Costumo dividir as contas com meu namorado, mas ás vezes ele quer pagar tudo e eu deixo.
É bom saber que ele faz questão de ser gentil.
Também cultivo coisas românticas, faço questão.

Beijos!!

A vida é uma arte disse...

Bom Dia Flávia...
Adorei a postagem, também penso dessa forma, não pela produção, mais falta cavalherismo hoje em dia infelizmente.Outra coisa que eu reparo é que quando começamos a namorar é perfeito e depois o homem relaxa, esquece das pequenas coisas, como abrir a porta do carro,perguntar como foi o dia, receber até um botão de rosas que você compra no sinal é muito legal.
A simplicidade faz toda a diferença.
Mudando um pouco de assunto...não vejo a hora da livraria ligar para mim, quero ler seu livro, mais a previsão é até o dia 25.
Beijão Nicinha

Georgia disse...

Flavia, nesse aspecto o meu alemao deixa a desejar, ele nao abre a porta, mas me tira ou veste sempre o casacao quando estamos chegando em algum lugar.

Mas olha, eu prefiro até que nem me faca essas coisas se por outro lado o homem ou a mulher grita com seu parceiro, viu.

Para mim, qdo um casal grita um com o outro, é porque o coracao está longe.

Prefiro que fale comigo a gritar, prefiro que nao me abra a porta do carro, se a pessoa grita numa discussao, prefiro que nao me tire e nem coloque o casaco em mim, se a pessoa grita.

Isso para mim está mais importante.

Bjus

June disse...

Em nada Carla. Porque nunca voltaremos para trás. Podemos até renovar algo antigo (a moda faz isso demais), mas nada será como antes.

E não creio que seja questão de feminismo como a Sheila aí do lado diz. Como dizem por aí: "oburaco é mais embaixo".

Relacionamentos exigem sutilezas, objetividade, carinho, firmeza, etc, etc, etc. Tem receitinha mágicas que não resolvem nada a torto na net.

Mas disposição falta aos montes. O que vejo são mulheres confusas, sobrecarregadas, reclamonas e homens idem.

Eu sempre optei por ser sincera (e paga-se caro por essa opção!), e sempre aderi ao tratem-se os iguais como iguais e os diferentes como diferentes. Levando em conta que ninguém é igual trato todos de maneira diferente, conforme consigo, mantendo sempre minha individualidade e respeito, por mim e pelo outro.
Isso sempre me trouxe sucesso em todos os relacionamentos dos amorosos aos profissionais.
Delicadeza e educação independem de sexo, idade, condição social, etc.
Mas voltando ao tema, acredito que, as mulheres precisam parar de tentar provar coisas e coisas para Deus, o Mundo e si mesmas e viver mais, com mais simplicidade.
Os homens precisam despertar mais a sensibilidade e atenção.

E todos nós precisamos ser menos egocentricos. E eu engrosso as fileiras...

Carolina disse...

Como viajo muito a trabalho, vivo com malas a tiracolo e até hoje me pego pensando quando me acontece situações como a esteira das malas no desembarque. Tem dias que estou com várias e você acha que mesmo pesada algum homem ajuda? Nada, garota! Depois de muitos debates internos cheguei a conclusão zero.
São grossos, mal educados ou estamos pagando o preço da liberdade feminina e independente?

Anônimo disse...

Eu queria alguém que abrisse a porta do carro prá mim. Pagar a conta, dividir, ele pagar, tanto faz. Mas a porta do carro ... ah, eu queria que ele abrisse.
Deve ser algum fetiche meu, hehehehe.
Meu maridex é ótimo em quase tudo, mas nada de porta do carro aberta prá mim entrar. Não se pode ter tudo. Beijoooooooooooo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...