quarta-feira, 20 de maio de 2009

Melhor ser patrão ou empregado?

Uma das coisas certas da vida é que teremos que trabalhar a maior parte dela. Esqueçamos os que herdam fortunas, não vamos falar de Athina Onassis porque senão a gente chora de raiva. Porque problemas e uma triste história todos têm, mas receber uma fortuna aos atingir a maioridade é sonho...

Por isso, para os pobres mortais que herdaram aquela poupancinha suada dos pais, uma casinha na praia, que têm que se matar com os irmãos para decidir quem vai ficar com o carro velho da herança, ou aqueles que não herdam nadinha, resta trabalhar. Mas em que e como?

Uma pessoa empreendedora, não conseguiria acordar pela manhã e fazer o mesmo trabalho por 10, 20, 30 anos. Falta o gás, a energia do desafio. Já uma pessoa que quer curtir a vida com calma, formar uma família tranqüila... talvez achasse mais bacana ter a segurança de um emprego privado ou público.

Mas a vida é cheia de desafios. Para tudo exige esforço. Seja estudar para concurso, lutar por uma vaga ou se jogar como dono de empresa.

Eu sempre achei que o melhor era ter o salário no fim do mês. Mas estou refletindo sobre o assunto. Repensando. Mas é preciso analisar metas, desejos para a vida. Todos os caminhos têm vantagens. Mas a pergunta fica: melhor ser patrão ou empregado.

9 comentários:

Paula disse...

Olá...
Olha, eu sempre achei que o melhor mesmo era ser dona de si, das próprias idéias e das próprias motivações. Não há nada mais bizarro do que ser empregada (mesmo que com milhares de vantagens funcionais e salariais) e perder a liberdade de expressão, perder o manejo do trabalho pessoal - único, e seu. Afinal estudamos anos pelo nosso ofício.
Então eu decidi que era hora de continuar empregada, só que do Estado...rs, estou estudando para concurso público e o que quero vai me conferir a liberdade de autogestão e de expressão de idéias que eu tanto necessito, ao mesmo tempo que me dará a estabilidade que sonho para construir minha família...
Acho que é isso. Boa quarta!

sheila alvarenga gogoi disse...

Eu prefiro ser empregada, e do governo =)
Sou médica legista do estado e nada supera a maravilhosa sensação de ter seu salário certinho todo santo mês.
Na área médica há muita precarização dos empregos. Raramente consegue-se emprego de carteira assinada. Já dei muito plantão através de cooperativa, e eu não tinha direito sequer a faltar um plantão por motivo de doença! A gota dágua foi qdo contraí catapora e queriam que eu fosse dar o plantão assim mesmo!
Larguei essa vida e tomei outros rumos. Hoje tenho 2 empregos, o de legista concursada, e outro num laboratório particular.

Não tenho a menor vontade de ter um negócio próprio, acho mil vezes mais trabalhoso e principalmente, incerto.

Cheers! Fla disse...

Oi Fla, nossa fazia tempo que nao passava por aqui...

Meu pai teve duas sociedades que nao funcionaram, entao ele sempre falou que ter seu proprio negocio eh ter dor de cabeca, foi assim que cresci pensando e na verdade ainda penso, mas tenho visto varias pessoas bem sucedidas que tem seu proprio negocio e jah pensei muito sobre o assunto. Tenho meio que um bloqueio que me impede de ir fundo em projetos solo he, he, he, quem sabe um dia???

bjs

marinez disse...

Eh melhor ser empregada...AS responsabilidades de um empregador tira o sono dele...eh melhor o salario todo mes...bju

Dri - Everywhere disse...

Acho que o sonho do "proprio negocio" faz parte da vida de quem nunca passou por isso.
Realmente aturar chefe chato eh um saco, mas mesmo sendo "dona do proprio nariz" esse tipo de coisa ainda acontece. Eh o cliente chato, o funcionario que quer te passar a perna, eh o cobrador de dividas, ou o cliente que esta devendo.
Alem disso, voce acaba tendo que abdicar de TODA sua vida pessoal - se seu negocio nao eh bem sucedido, vc acaba tendo que dedicar cada segundo da sua vida para faze-lo sobreviver. E se eh super mega bem sucedido, voce acaba tendo que trabalhar ainda mais, pra manter o negocio prosperando.

Alem disso vc acaba sendo responsavel nao soh por voce mesmo e o sustento de sua familia (em vez de esperar o salario no fim do mes), mas tambem eh responsavel pelo sustento e pela familia de todas as pessoas que trabalham pra voce, e que dependem de sua criatividade, seu esforco e seu sacrificio enquanto esperam seus salarios no fim do mes.

Isso sem falar em crises, epocas dificies, alta (ou baixa) do dolar, etc, etc.

Dah pra perceber que minha opiniao nao eh das mais positivas, neh?

Meus pais embarcaram nessa ha muitos anos atras e tiveram que abrir mao de tudo por seu negocio. Hoje em dia sao muito bem sucedidos, mas nem por isso deixaram de se sacrificar cada segundo. Ferias nao tiram ha anos, pois se nao trabalham, tambem nao ganham dinheiro, e se nao ganham, nao pagam contas, salarios, etc, etc.

Pode ateh ser gratificante por um lado, mas sinceramente, vendo como a cosia realmente funciona "por dentro" as desvantagens sao tao grandes quanto ser "empregado", soh que miltiplicadas por mil, e as (pouquissimas) vantagens nao compensam mesmo!

Eu soh embarcaria numa dessas se tivesse alguma outra fonte de renda segura, e se por acaso tivesse um hobbie que por acaso comecasse a faturar. E por outro lado tivesse um emprego dead-end que nao fosse gratificante nem compensasse financeiramente.

Ana disse...

Olá,
tudo depende do que você quer para você: segurança, conforto, garantias ou satisfação pessoal. Infelizmente você não consegue tudo junto, então precisa escolher. Eu vivo esse dilema também. Sinceramente, acho que deve ser legal ser funcionário público pela segurança que ele te traz, mas só de pensar em fazer tudo igual sempre, entro em desespero. Já cheguei a uma conclusão (óbvia) no entanto: rico, rico você só vai ser se mudar de lado no capitalismo, ou seja, deixar de ser o empregado e virar o patrão. Mas ninguém nunca vai conseguir te garantir que a sua ideia vai dar certo e vc vai conseguir ganhar muito dinheiro. É, se fosse fácil, ninguém seria pobre, rs. Mas meu psiquiatra me disse que estamos na fase de tentar (de tudo e sempre). Planejamento e canja de galinha também ajudam, certo? beijos,

Devathai disse...

Pra mim o importante é fazer o que se gosta, e não importa se vc está fazendo o que gosta como patroa ou como empregada. Na verdade, ambas as posições são arriscadas. Então, acho que gostar do que se faz é primordial. Sei lá =/

Lucia Cintra disse...

Eu nunca gostei de trabalhar pros outros (isso inclue TODOS os empregos que ja tive ate hoje). E nesse momento da minha vida, estou tentando comecar meu proprio negocio. Ja acumulei tanta ansiedade a respeito por anos e anos que esta ficando cada vez pior sair de casa pra ir trabalhar e fazer algo que nao me satifaz de maneira alguma.

Talvez vale a pena trabalhar pra alguem ou compania quando voce ama o que faz, o que nao e' meu caso. Eu sempre quero fazer as coisas do meu jeito, tenho minhas proprias ideias as quais nao posso manifestar... entao, a solucao perfeita e' ter algo meu. E nao vejo a hora! bjos

Anônimo disse...

e...ser ou não ser eis a questão...eu so sei que quando tem de acontecer...vai acontecer...empregado ou patrão...ou servidor...alguém,tem de ser soldado ao coronel...do guarda ao prefeito...do empregado ao patrão..."alguem tem que ser"...e assim a vida vai levando.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...