quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Estamos nos tornando mostros de frustração?

Sapato Prada, calça Diesel, Ipod, laptop, carro importado, roupas, sapatos, bolsas, TV de plasma, plástica, academia, celulite free!

No consultório de um médico passava Márcia Golsdshimit. Não dei muita atenção, mas parei de ler meu livro quando ela começou um acalorado discurso sobre a importância de dizer não às crianças e adolescentes, porque os pais pensam que satisfazendo suas vontades ficarão todos felizes e gratos. Nada disso.

A criança cresce e a comida que podia ser ingerida em abundância, agora tem que ser controlada porque não pode ficar acima do peso se quiser ser aceito. O sapato da moda já é caro demais para caber no orçamento e o brinquedinho agora é um carro de verdade.
Vemos adultos tontos vivendo apenas para consumir e fazemos isso sem perceber porque desde pequenos são adestrados pela mídia e incentivados pelos pais a pensar: preciso disso.
Arte, história, cultura já não têm mais valor porque não levam à admiração do vizinho como um celular de última geração traz.

Antes, era admirado quem era culto, quem sabia falar de arte, agora é o camarada que viu o vídeo da menina gritando para que um tal de Pedro devolva seu chip.

Uma família americana forjou a história de que o filho estaria dentro de um balão, só para aparecer na TV e, de alguma maneira, ser enxergada em uma sociedade cada dia mais cega, não só para os outros, mas para si mesma.

A evolução da sociedade tem seu valor, mas seu avanço é tão sem rumo que faz o próprio ser humano perder qualquer nesga de dignidade.

Por isso, desde que ouvi Márcia falando fiquei pensando... Estamos nos tornando mostros de frustração?

16 comentários:

Carolina disse...

É a era do ter não do ser.

Qto aos pais, eles não dizem não pelo simples fato de que não querem se incomodar. Dá trabalho educar e muitos não querem isto, apesar de ser a principal função qdo se põe filho no mundo, né?
Mas desacomoda, dá trabalho e muitas pessoas não querem sair da zona de conforto, então é mais fácil ceder e alimentar o bichinho pra virar um monstrinho. latimável.

bjo e bom feriado!

Georgia disse...

É por ai a coisa e vai ficar pior.

Beijos

Devathai disse...

E bota monstros nisso. E cada vez mais buscamos motivos estúpidos para aparecer. Porque os motivos reais,aquiles que seriam considerados 'nobres', banalizaram-se.

Anônimo disse...

我對於甜食的網路慾望是還好的,可有可無,但是對於專家乳酪蛋糕我就沒輒了。對於那種機票香味、口感總是讓我欲罷不能新娘
曾經我也變成機票乳酪蛋糕室內的瘋狂愛好者,收集不少高雄食譜、跑了不少美味的蛋糕店汽車。直到有一天花園,驚覺自已的腰已經穿不下最愛的褲子時,乳酪蛋糕發威了,只好說bye-bye了。
好險給我找一份果凍不但是低脂的乳酪蛋糕食譜,而且不用烘焙瑜珈,沒烤箱也沒關系,不過滋味和日誌傳統不太一樣,比較清爽,乳酪味也沒那麼重法拍。但是有種柔順滑嫩又清涼的口感。
灣娶大陸和教室東南亞的新娘一年有多少萬人?新郎年紀呢?據新聞專家報導,有越來越多台灣男人娶大陸和東南亞的新娘請問有多少清潔呢?娶大陸和東南亞新娘診所的男人年紀都多大呢?
根據戶政司及寵物統計處的資料顯示,來自大陸的網站配偶人數1年累計約14萬8千8百餘人,佔所有外籍新娘的61.61%,為外籍配偶之冠,東南亞新娘有1萬6千多人,佔37.31%,兩地區就佔外籍新娘的98.95%,顯示台灣的外籍新娘生活幾乎全部來自大陸與東南亞。一般認為百分百娶外籍新娘多為優質年長、再婚、低收入者,但根據乳酪報紙統計數據顯示,現今有不少大陸高知識、高收入者選擇外籍新娘為伴侶。

made in ♥ love disse...

concordo contigo...

Um beijinho
Eduarda
Be in ♥ love

K. Willemann disse...

Acho q sim... cada dia precisamos de mais pra ser felizes, e deixamos de lado as coisas simples! Portanto a infelicidade bate na porta com mais facilidde!

É culpa do capitalismo? Não sei... acho q é mais perda de valores e superficialidade da gente mesmo! Nos influenciamos fácil demais!

Se cuida!
Beijinhos

Mitti disse...

Sim Flavia, estamos..infelizmente.

:(

Sandra Timm™ disse...

Sim, estamos.

Dá trabalho educar... perde-se tempo ao se dar carinho real para os filhos... e ninguém quer ter trabalho e perder tempo!!!!

Então ficam todos ao deus-dará, mas, como já cantou Chico:

"deus-dará,
deus-dará
e se Deus não der????"

Eis o que estamos vendo!!!!

Luciana Klopper disse...

é bem por aí mesmo, a sociedade tá cada dia mais competitiva, tao competitiva, que se esquecem onde se deve ser, e todos querem competir entre si, melhor carro, melhor casa, melhor roupa, melhor tudo, até sentimentos se compete hj em dia, e a cada dia não veem que mais e mais a sociedade anda infeliz, esmagadora, enganadora, daí surgem as doenças da modernidade, doenças que fazem sangrar a alma, daí vem o vicio, muitas vezes a procura de mais e mais...esse assunto rende....

disse...

verdade mesmo.
nessa sociedade q a mae trabalha fora, o pai tbm. a gente se engana e quer retribuir a ausencia dando presentes, passeios, deixando de dar broncas qdo necessario.. afinal, passei o dia todo fora e agora vou bater no bb? Não né...
Mera tolice. Estraga a criança.. e olha q eu tava fazendo isso
bjs flor

disse...

verdade mesmo.
nessa sociedade q a mae trabalha fora, o pai tbm. a gente se engana e quer retribuir a ausencia dando presentes, passeios, deixando de dar broncas qdo necessario.. afinal, passei o dia todo fora e agora vou bater no bb? Não né...
Mera tolice. Estraga a criança.. e olha q eu tava fazendo isso
bjs flor

Isadhora disse...

Concordo com tudo o que vc disse...
E esse assunto dá pano pra manga (pelo menos pra mim, que adoro falar sobre educação e formação das pessoas).

Mas discordo de apenas um ponto...
"A criança cresce e a comida que podia ser ingerida em abundância, agora tem que ser controlada porque não pode ficar acima do peso se quiser ser aceito."

Não ficar acima do peso é questão de saúde!!!!
Crianças mais gordinhas tem muito mais chance de ser um adulto obeso. E obesidade é doença!!!

Eu nunca fui gorda, sou nutricionista, e sei que quem PRECISA perder peso sofre demais pq é muuuuito difícil!! Muito sacrificante!!

(Opss... acho que saí um pouco do tema, mas... fica aí a minha opiniao! rss)

brasildobem disse...

Excelente post! Super apropriado para uma reflexão. De fato, estamos vivendo uma época descartável, tudo é perene e a cultura e a educação estão ficando em extinção e a primazia pelos bens materiais está superando os bens espirituais.
Bjs
Janeisa

Kátia Ruivo disse...

concordo com algumas de suas idéias, mas ainda acho que os pais conscientes devem colocar limites em seus filhos sim, não pela impossibilidade de lhes proporcionar tudo o que pede, mas pelo simples fato de aprenderem que nem tudo o que desejam eles poderão obter.

Cláudia Acourt disse...

Nos transformamos naquilo que os hippies tentaram impedir, uma sociedade consumista e descartavel de valores.
Como vc bem pautou somos educados dentro deste pensamento mas, è interessante observar, que fazemos a escolha de permanecer nele por puro comodismo. é facil dizer "os nossos pais nos educaram assim", complicado è dizer "eu posso ser diferente e feliz".
Eu percebi que vivia esta frustaçao a algum tempo na minha vida qdo eu observei que lutava para viver e ter aquilo que se esperava dentro das regras. Como disse a um tempo atras, dei um basta chutando o balde e vindo para a Italia. Antes, porem, tive a fortuna de conhecer a filosofia da Simplicidade Voluntaria (http://www.simplicidadevoluntaria.com/) e vi como è bom viver de forma simples pois nao gera frustaçao, somente surpresas com descobertas reais.
Ha quem possa interessar e queira conhecer uma filosofia de vida mais tranquila e feliz, recomento muito este site. Ah, a revista Vida Simples tbem aborda muito esta linha de pensamento.

cantinho she disse...

Olá! Primeiramente quero agradecer a visita em meu blog! E obrigada pelas palavras! Em segundo lugar quero te dizer que amei o nome do seu blog, muito bom mesmo, parabéns! E por último quero te parabenizar pela escolha do tema nesse seu post, realmente a valorização em coisas fúteis cresce muito, mas como jornalista acho tudo interessante para cada vez mais termos pautas novas a serem escritas e "discutidas". Exatamente como vc fez, muito bom. Gostei muito daqui e já tô te seguindo. Um ótimo domingo e beijinhos!
Cantinho She.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...