sexta-feira, 23 de abril de 2010

Esse é um lar lucrativo para todos?


"Façam do lar um investimento lucrativo". Estas são as palavras encontradas na página 50 deste livro ao lado.
"Nem sei como vou pagar isso, mas parcela ao máximo!" uma mãe disse para o caixa ao tirar o cartão de crédito da bolsa para pagar um brinquedo imenso do que nem me atentei em ver o nome. O filho, logo ao lado, nem ligou para o que foi dito. Mamãe tem dinheiro. Como? Não importa, ela é como um porquinho cheio de moedas infindáveis.
"Cada um tem seu laptop em casa, tem dia que nos comunicamos mais por msn do que nos vendo, mesmo estando dentro da própria casa." Uma amiga disse com naturalidade.
Lar=? O que ganha-se estando em casa? Vale mais estar diante da tela do computador ou da TV do que com a pessoa ao seu lado? Então por que viver juntos? Um filho que só fica na frente do DVD, que consome todo o dinheiro dos pais...
Os integrantes da família dividem as dívidas, cada um trabalha e dá a parcela para consumir e pagar contas, mas a construção? Lar é apenas um local onde consome-se? Há lucro estando todos juntos? Ou um pesa mais do que o outro? Aprende-se algo? Há lucro?
Ao terminar "O homem mais rico da Babilônia" fiquei intrigada com o significado da palavra lucro aplicada em um família. Por isso, fiquei pensando se podemos olhar para nosso lar, olhando pelo lado intelectual e financeiro e dizer: Este é um lar lucrativo para todos?

6 comentários:

Monica Loureiro disse...

Não lí este livro ainda, mas o seu POST falou sobre a famosa CORRIDA DOS RATOS,que muitos autores condenam....

Carolina disse...

Eu acho que o lar só se torna lucrativo se tem afeto, amizade, carinho e companheirismo, acho que perdeu-se muito do estar em família, viver em comunidade com essas novidades do mundo moderno, as pessoas mal se vêem, não almoçam/jantam juntas, não conversam ou sentam juntos para assistir um programa de televisão, tudo se tornou muito individualista, e com isso o conceito verdadeiro de LAR foi se perdendo.

Beijos

Jaque Gonchoroski ઇ‍ઉ disse...

Eu concordo com a Carolina. Um lar é rico quando tem sentimentos verdadeiros e o contato físico e o calor humano entre os membros.

De nada adianta se ajudarem, dividirem se não somam em carinho e amor.

Um lindo final de semana!
BEijos

Iolanda disse...

Questionamento interessante. Principalmente porque, se considerarmos os lares da vida moderna, muito pouco lucro se abstrai deles, e acho que isso é no geral: tem-se a ilusão de estar-se vivendo bem, mas no fundo as pessoas estão mais e mais virando pequenas ilhas. Muito bom o post!

Desabafando disse...

Fiquei curiosa pra ler o livro.

Alicinha disse...

é interessante como nos parece dificil conciliar o conceito lar, com lucratividade. Lar possui uma simbologia tão carregada de sentimentos, enquanto lucros se mensura apenas pelo lado racionaL.Acho que todo lar é lucrativo a medida que acolhe as pessoas com um fim comum, o do amor mútuo, por que se pensarmos em quem só dá despesas, em quem não contribui, é dificil aceitar as pessoas fora do mercado de trabalho, o que não é justo tbm. O lar como ambiente onde só se consome? Tbm é relativo. Consomem-se energias, consomem e produzem-se as maiores alegrias do ser humano.Que é vivência em família.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...