quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Homem alegre é divertido, mulher é puta?

Não sou feminista. Acho uma perda de tempo ficar nessa história de mulher que luta para ser como homem. Mulher é mulher e homem é homem, ponto.

Mas, ando vendo umas coisas que me deixam de queixo caído.
A festa de domingo passado, ainda rende frutos no meu pensamento. O que acontece quando uma mulher é independente e alegre? Principalmente estando sozinha?

Se um grupo de homens está animado em uma mesa de bar: estão felizes.

Se é um grupo de mulheres, vem logo a frase: "se jogar milho não sobra nenhum."

Claro que ninguém precisa viver as loucuras ao estilo Vera Fischer quando era baladeira, mas atire a primeira pedra quem nunca olhou para uma mulher despachada, alegre, sem medo de dar boas risadas e bebendo com um grupo de amigas e disse: "nossa, de onde saiu esse bando de mulher sem classe?"
 
Eu sei do que estou falando. Várias vezes já fui tachada de bêbada, estando sóbria, louca, "muito moderninha" ou coisas mais cabeludas como "isso é falta de uma pica", juro que ouvi. Só porque saio para me divertir e me divirto.
 
Homens se sentem no direito de ir além, ser grosseiro, dizer disaforo, porque mulher direita é a dele que está em casa tomando o chifre. E o interessante é ver que muitas mulheres também pensam assim. Quando entram num relacionamento mudam até o tom de voz. Acho até as mulheres são as mais machistas.
 
Eu sei me defender, e me defendo dando o desprezo. Se a pessoa me ofende, simplesmente viro o rosto e continuo sendo eu, mesmo assim eu não engulo esse cerceamento machista. Na balada: homem alegre é divertido, mulher é puta?

19 comentários:

Trocando ideias - Espaço Mulher disse...

Essa é a mais pura verdade por pior que seja.Homem pode tudo, mulher passa logo por puta ou coisas semelhantes...
Não concordo com essa postura da sociedade, pra mim cada um deve fazer o que lhe traz felicidade e o que os outros pensam, não me importa!
Bjs
Dani

Cleia Lucena disse...

Eu bebo, danço e brinco com todo mundo, me divirto bastante. E não sou machista, apesar de achar que a marioria das mulheres são, pois esse lance de homem não chora, homem tem que sair mesmo, é culpa na maioria das vezes da propria mãe.
Mas tem umas mulheres que realmente ultrapassam e ficam vulgares (vulgar pra não dizer puta mesmo). SE divertir é diferente de vulgaridade.E que tb mudam qd começam a namorar ou coisa assim, na verdade é pura hipocrisia, além de serem falsas e dissimuladas... aff odeio.
Seja o que vc é em todo e qualquer lugar!

beijos

Flovi disse...

Mas hein, eu super-jurava que o feminismo só luta para que cada indivíduo seja julgado por mérito, e não por gênero. E que se hoje você, por exemplo, tem o direito de ter este blog, de ser jornalista e de falar o que bem entende na net, isso é nada mais, nada menos que fruto de uma luta feminista que já se estende há algum tempo.

Mas sabe que eu fiquei SUPER feliz de ver este post? É como diz a escritora Isabel Allende: se você não gosta da palavra feminismo , se acha ela muito feia ou pesada, não tem problema. Defina-se como quiser. Chame a sua revolta de qualquer nome, pois o que vale, mesmo, é a revolta.

Gisley Scott disse...

Olha, isso está acontecendo com a minha sogra.Ela não é da balada,mas perdeu 10 quilos depois que perdeu o marido para o aneurisma e encontrou um novo amor.Está mais bonita, mais magra e usando roupas de número menor.Como mora em uma cidade pequena, todo mundo acha que ela anda dando, mas se fosse um homem,jamais diria isso.

Detesto o machismo..

K∂riиє* Smith. disse...

Eu poderia ter escrito esse texto pois penso exatamente como você.
Não sou feminista, nem machista e acho um absurdo esse pré-conceito que as pessoas-incluindo outras mulheres- fazem de gente bem resolvida.

Dane-se o que os outros pensam, se o mundo fosse mais habitado por gente espontânea, todo mundo sairia no lucro.

Carlinha disse...

vou trazer um caso que aconteceu comigo. sou policial e um dia, ao dar apoio a outra viatura, numa prisao, o povo todo em volta olhando, eis que eu desci da viatura um homem no meio do pessoal falou: - vai lavar roupa! Ah imagine a minha indignação! Intimei os homens que ali estavam e varios já sairam correndo. Dai um veio me dizer que eles tavam mandando uma mulher que estava por ali aos gritos, parar de gritar. Imagine a minha raiva! Esse preconceito em relação às mulheres, tanto no trabalho quanto no horario de lazer está enraizado, ninguem fala pra vc ficam te julgando pelas costas, o fato de vc beber ou brincar numa festa sempre é julgado como isso, a mulher parece que tem que ficar numa redoma de vidro à exposição, dura e quieta, pra não ser tachada disso. Eu quero que se "exploda", pra não dizer outra coisa...

miamiamilano disse...

Eu acho que todo mundo tem o direito de ser feliz. E principalmente, ser espontaneo! So que tenho que dizer uma coisa: pessoas que falam alto me incomodam um pouco. Homem ou mulher. E aqui no EUA, a mulherada (nao todas) tem a mania de gritarrrrr, acho que para chamar a atencao dos homens. Nao acho que todo mundo tem que ser lady, comportadinha e etcmas sabe aquelas que nem estao achando muita graca, mas dao gritos para sobressair no grupo? Afe, nao da. E isso vale para homem, crianca e etc.
Beijos
Le

jaqueline disse...

Menina e verdade , dias desse tava num barzinho aqui onde trabalha um amigo e e mais duas amigas e um homem vem falar conosco nao demos muita atencao e a mulher do lado ja foi logo passando infomacao que ele trabalhava no banco, e a minha amiga falou`"nao me interressa "poxa nao estavamos ali a procura apenas queriamos nos divertir , bater um papo .eu saio , danço e bebo tb. E o que pensam de mim e igual.... bju linda otimo post

Uma Sonhadora disse...

É cara colega...muitos pensam assim: Mulher que sai, se diverti e bebi cerveja é puta, homem que sai e enche a cara é norma; mulher que sai e pega dois na noite, é puta; homem sai e pega vários é o fodão; mulher que sai no primeiro encontro é puta, homem que come todas é o "cara", infelizmente houve um luta por direitos, mas as pessoas só querem saber de reclamar. Uma coisa é ser feminina e outra é ser feminista. Outra coisa é se vulgar, td tem diferença, mas as pessoas preferem pixar a imagem do próximo a sentar no prórpio "rabo".

Sonhadora
http://2010palavrasaovento.blogspot.com/

Paty Chuchu disse...

Nossa Flavia,vc tem toda razao..Eu gosto de sair tb com as amigas,dancar,esquecer o stress,afinal apesar de mae e esposa,nao esqueco que em primeiro lugar sou mulher,e qual a mulher que nao gosta de um papinho descontraido com as amigas,num barzinho bacana..Mas infelizmente desde a minha adolescencia percebo essa desigualdade por ex:O homem que tem varias namoradas,cada fim de semana uma ou ate mesmo varias ao mesmo tempo e´ o heroi e nos?Ai de vc se terminar um relacionamento e 2 ou 3 meses depois estiver namorando com outra pessoa,vc e´a galinha da vizinhaca.Eu sou assim,as vezes bebo,as vezes nao,mas uma coisa e´ certa,me divirto,dou risada,falo bobagem,mas tudo no seu limite..Claro que os que os outros pensam de mim nao me importa,o problema que as vezes um boato,uma ma interpretacao de alguem pode prejudicar e atingir quem a gente mais ama por ex.marido e filhos.Por ex:Vi outro dia a mae de fulano bebada em tal lugar(nao importa se vc estava ou nao,eles aqui confundem alegria com bebida),e rapidinho surge um boato na escola entre os amiguinhos de classe(nunca aconteceu comigo mas com uma outra pessoa)..E´duro viu ser mulher mas pra falar a verdade EU AMO SER ASSIM..beijos

Layla Barlavento disse...

Já passei muito por isso Flavinha e hoje tomo a mesma atitude que você: viro a cara e continuo sendo eu mesma. Sou da opinião de que o que não quero pra mim, não dou aos outros e portanto não rotulo ninguém. Mas infelismente vivemos num mundo injusto, não é?
Vejo muitos homens atolando o pé na jaca e ninguém tá nem aí. Mas quando somos nós que, lindas, independentes e vitaminadas resolvemos expandir os limites somos chamadas de putas mesmo. Acho que a vulgaridade está independente do sexo.

Beijos na alma!
Layla Barlavento
culpadowalter.blogspot.com

Layla Barlavento disse...

Já passei muito por isso Flavinha e hoje tomo a mesma atitude que você: viro a cara e continuo sendo eu mesma. Sou da opinião de que o que não quero pra mim, não dou aos outros e portanto não rotulo ninguém. Mas infelismente vivemos num mundo injusto, não é?
Vejo muitos homens atolando o pé na jaca e ninguém tá nem aí. Mas quando somos nós que, lindas, independentes e vitaminadas resolvemos expandir os limites somos chamadas de putas mesmo. Acho que a vulgaridade está independente do sexo.

Beijos na alma!
Layla Barlavento
culpadowalter.blogspot.com

Cheers! Fla disse...

Ai Fla, nem comeca com isso que eu jah fico revoltada! No meu hotel tem um monte de brasileiro e a mulherada brasileira eh a pior, nossa da raiva ha, ha, ha. Adoro sair e me divertir tbem, seja com a mulherada ou em turma misturada, nao importa!

Bjs

Priscila disse...

É verdade, vc sabe que até mesmo conheço mulheres que tem esse tipo de pensamento, "sair sozinha, jamais, que coisa deprimente". Tem gente que só sabe VIVER com um homem do lado.

Albuq disse...

Acredito que devemos viver, senti, aproveitar cada instante da maneira que convém, se não agradar, paciência, nem Jesus agradou a todos, imagine nós, meras mortais?! kkk

adorei o post, bjs

Universitária,eu? disse...

Menina vc fala essas coisas e não vive no NE Brasileiro,aqui o negócio é pesado!!!!Ninguém tem vergonha de ser Machista,isso é enaltecido como uma virtude!!!!
As mulheres que decidem sair do curralzinho que os pais, ou irmãos e maridos criaram, enfrentam muitos desafios.Mas não faltam mulheres correndo atrás de seus sonhos.

Gisele disse...

Nossa adorei o post, um dia desses estavamos debatendo isso aq no trabalho... Pois eu disse q se to com vontade de tomar 1 cerveja passo em algum lugar e tomo e não preciso de ninguém pra isso.. Ás vezes preciso somente da minha cia! Mas me falaram q isso é coisa de homem...

Mônica Suñer disse...

Quem cria esses homens somos nós, por isso a mentalidade não muda. Somos mais machistas que eles. Eu me pego realmente sendo hiper machista, até sem perceber. Tens razão. Bjs

Marco disse...

Será verdade????
A mulher está lutando pelos seus direitos e nem sempre acho a forma de agir a maneira mais adequada para faze-lo.
Não devemos esquecer a diferença entre liberdade e vulgaridade.
A vida é feita de equilíbrio e quando ele não se faz presente, alguma coisa ou alguém acaba "pagando o pato".
Abraços
Marco Antonio

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...