quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Melhor ter orgulho ou um paitrocínio?

Tenho uma amiga que não dá o braço a torcer, mas tudo o que tem, tem o dedo do pai. Mas, o estranho é que ela parece que ela tem mais vergonha disso do que orgulho.

Quando falo de certas economias que faço ela diz:

“Ah... Mas você tem dinheiro... Está economizando porque quer!”

E a resposta eu já cansei de dar:

- NÂO! Eu NÃO tenho herança a receber! Quando eu fico sem dinheiro eu NÃO tenho ninguém para me dar uma mãozinha.

Agora mesmo, estamos mobiliando casa ao mesmo tempo. O pai dela veio visitá-la e disse: “fala o que está faltando na sua casa que eu vou te dar.” E assim foi feito, ela só foi apontando os móveis na loja.

Liguei para o meu pai, contei o caso acima, e sabe  o que ele disse?

- Minha filha se eu ganhar 5 milhões da Megasena eu juro que te dou 1. É garantido. Sabe que não vou esquecer de você.

Na hora eu ri, mas pensei: devo sentir orgulho de mim por bater no peito e dizer que me banco por completo? Trabalho igual uma louca, eu e meu namorado NÃO temos final de semana. Porque nós NÃO podemos contar com ninguém!

Quem tem um “step”, imagina, mas NÃO sabe o que é NÃO ter um “step”. É como entrar em uma estrada e pensar: "Se eu cair num buraco eu estou ¨%$#, de verdade!" Seu carro pode ser potente, mas você anda lento como se estivesse dirigindo um fusca.

Quem nasce com pai rico nunca poderá bater no peito e dizer: “eu comecei tudo isso sozinho. Conquistei tudo sozinha.” Isso, eu posso fazer, sem dúvidas! Mas, ontem, olhando o tanto de coisas que ainda falta comprar, fiquei pensando na minha amiga que, inclusive, ganhou a casa onde mora, de presente.

Avaliei, friamente, que meu orgulho não vai lá na loja e compra móveis, mas o dinheiro do pai dela, sim! Será que seria tão ruim nascer neta de ACM como Carol Magalhães?

Um outro amigo disse: "Ah... Ai sabe como é, tem minha tia velhinha... Ela empresta aquela grana para não precisar entrar no financiamento da apto quando entregarem as chaves."

Já eu só posso dizer: "Sabe como é... Tem meu pai que joga na Megasena há 20 ANOS, né..."

Ter um pai, mãe, sogro, sogra que ajuda é como fazer conta, contando com o cheque especial. Você não quer usar nunca, de maneira alguma, mas se precisar...

E quer rir um pouco? Minha única herança, que era o apartamento da minha mãe, ela teve que vender. Eu dobrei a carga de trabalho e comprei! Ai me conta... Melhor ter orgulho ou um paitrocínio?

28 comentários:

Sam Passos disse...

Olha, amiga linda, sinceramente, eu sou igual a você... no sentido de que meus pais me deram tuuudo que foi de primeira necessidade, o que eles julgam como obrigação de pai e mãe, que é educação, saúde e alimentação. Eu sempre tive tudo isso, nunca me faltou, mas certas coisas que eu vejo minhas amigas ganhando dos pais (o que eu chamo de "bônus") isso eu não tenho... e tem horas que eu tb não sei se isso é bom ou ruim... mas totalmente bom ou totalmente ruim não é, tenho certeza! O ruim é só que tem algumas coisas que eu queria ter ganho (como uma viagem de intercâmbio e um carro - popular mesmo, e nem precisava ser 0km de jeito algum! kkkk), pronto, só isso, esses bônus eu gostaria muito de ter ganho dos meus pais. Por outro lado, eu tb não tenho do que reclamar, os tempos estão tão difíceis, ou sou eu mesma que não to sabendo pra onde ir... eu adoraria ser aquela pessoa ultra mega estudiosa, de grudar a bunda na cadeira e estudar feito uma louca pra passar num concurso federal pra ter salário bom e estabilidade pro resto da vida... mas eu não sou assim! Infelizmente... :/ Mas, eu tb ponho minha confiança muito em Deus, de que mesmo assim, nada vai me faltar, pelo menos não o básico... ah, tipo, quase ia esquecendo... muitas colegas minhas da facul se formaram e os pais botaram clínica pra elas, ou eplo menos montaram um consultório pra elas... já eu tive que trabalhar pros outros, trabalhando 2 meses pra receber R$ 350,00 (isso mesmo... por 2 meses de trabalho!), fisioterapeuta com especialização em RPG! só o título é que é bonito, acredite! Mas se fosse pra viver disso, coitada de mim! E a vida é assim... muitas vezes eu me pergunto como seria tb ser filha de pai rico... por essas e outras, sabe?! Mas lá na frente eu vou saber se foi bom ou se foi ruim, eu acredito! Agora eu estou iniciando minha carreira como professora de Inglês, graças às oportunidades que meus pais me deram de estudar e porque eu quis e gostava de estudar línguas... e se Deus quiser, abençoar, vai dar certo e eu vou juntar o MEU dinheiro pra fazer a MINHA 1ª viagem internacional.... kkkkk.... eu imagino que eu já enchi o saco falando disso, mas o que eu posso fazer?! É meu sonho!!! :) Bjssss... ♥

Marcos Satoru Kawanami disse...

o melhor é não ter dúvida.

=D
Marcos

Luisa disse...

Eu acho que tudo na vida tem um limite, e isso inclui o orgulho e o paitrocinio.
Se com o meu salario eu sò posso bancar um quarto e sala na periferia, è assim que tenho que viver e pronto. Tenho que aceitar essa realidade e batalhar para melhora-la.
Se tenho um pai rico que quer me dar uma mansao no centro da cidade, na minha opiniao, nao aceitar o presente è burrice e nao orgulho.
Mas se o "preço" dessa mansao è ter que suportar os pais mandando e desmandando na minha vida, entrando e saindo da minha casa quando e como querem, sò pq foram eles que pagaram a mansao.... Eu sou orgulhosa e prefiro meu quarto e sala.
Eu vejo o paitrocinio nao como paitrocinio, mas como um presente de alguem que me quer bem.
Qual è a diferença entre receber um livro de presente de uma amiga no aniversario e receber um carro de presente do pai? Sò o preço!Ambos foram dados com amor e dentro das possibilidades economico-financeiras de cada um. Entao eu nao entendo esse orgulho de "receber presente barato nao tem problema, receber presente caro, sim".
Sò tem que lembrar que presente a gente ganha, e nao pede! E è ai que mora o orgulho: mesmo tendo pai rico, ninguem tem a obrigaçao de presentear ninguem e cada um que viva dentro das proprias possibilidades. Se o presente vier, è bem vindo! ;)

Erika Saab disse...

Flávia, esta semana você tá que tá nos posts, eita tema bom para se discutir. Pois vamos lá, que quando o assunto é dinheiro eu sou sincera. Sempre digo, ficar rico é ótimo, mas nascer rico é melhor. Ter um pai rico, que te dê as coisas de mão beijada é uma maravilha e não vejo isso como motivo para se acomodar, se alguém recebe mais do que os outros, isso quer dizer que ele pode ir muito mais longe, quem consegue pegar a empresa da família e fazer o capital crescer, expandir os negócios tem motivos para bater no peito e se orgulhar também e talvez até mais, porque quem não tem dinheiro luta por necessidade, porque se não fizer não paga as contas, não vive e na maioria das vezes faz reclamando horrores, mas quem já tem uma condição boa, luta porque quer, porque decide que não vai ficar só recebendo, quer gerar algo em troca também. Tenho tantos amigos como esta sua amiga e que mesmo tendo recebido uma casa dos sonhos de mão beijada dos pais, acorda cedo todo dia e vai trabalhar, estuda quando chega do trabalho quando sabem que se não fizessem isso, pouca coisa ia mudar na sua vida. Eu os admiro, sinceramente, por que quantas vezes a gente não pensa, ah se eu fosse rica, não ia fazer nada disso, ia tá curtindo a vida por aí? Mas eles preferem agregar, não querem ser parasitas. Um dia, uma dessas minha amigas me disse uma frase que nunca vou esquecer, ela falou: "Erika, trabalhar e se esforçar para quem tem estabilidade é uma opção, eu opto por fazer, mas para quem não tem estabilidade é uma obrigação e muitas vezes a pessoa precisa se submeter a coisas absurdas porque não tem outra saída, então eu prefiro ter estabilidade e escolher fazer o certo mesmo assim". E eu penso isso também, até porque nós sabemos que no Brasil, ser batalhador não é leva automaticamente,a ser bem sucedido, se você consegue ter uma vida legal sendo fruto apenas do seu trabalho, parabéns, mas tem muita gente nesse Brasil, que rala muito e não consegue o mesmo, no nosso país as empresas tem a cara de pau de oferecer, salários de R$ 1500,00 para profissionais de nível superior atuarem em tempo integral, então, Flavinha, eu prefiro mil vezes ter patrocínio e lutar para fazer algo do que eu possa me orgulhar, algo meu, que eu busquei, que construí com o meu saber, o meu talento, o meu trabalho só que sem ficar com a corda no pescoço, do que correr o risco de acabar enforcada e orgulhosa de ser mais uma heroína brasileira de tantas que a gente sabe que existem por aí no Brasil. Fechamos assim, prefiro ter patrocíciono e fazer algo de que possa me orgulhar, sem medo de passar necessidades. É possível!

Lucia Cintra disse...

A Luisa resumiu exatamente como penso.

Minhas irmas e eu crescemos com nossos pais nos dando tudo que queriamos. E sei que se precisar de algo hoje em dia, meu pai me daria tb.

MAS... eu tenho orgulho de nao precisar de ninguem e ter as coisas que tenho por conta propria. Tudo que tenho e conquistei foi devido ao meu esforco e isso me faz sentir super bem, super accomplished, sabe?

Cheguei e estou conquistando o que quero sem ajuda financeira de ninguem e na minha opiniao, eh algo que enobrece a pessoa e te ajuda a enxergar o verdadeiro valor das coisas de uma maneira sem igual.

E digo isso por experiencia propria, pois antes de eu conquistar meu proprio espaco, achava que tudo era facil por ter crescido recebendo tudo que sempre quis. E isso nem sempre eh bom pro amadurecimento da pessoa.

bjos

Cleia Lucena disse...

Não temos culpa em ter nascido com um PAItrocinio, no meu caso é uma MÃEtrocinio, mas assim... isso não quer dizer que me acomodo ou coisa assim e te digo de verdade: ODEIO TER QUE PRECISAR DELA! Tem algumas coisas que ate acho normal como casa ou alguma coisa muito cara, mas o restante me viro pra conseguir. Minha mãe por exemplo, nao me enche de mimos, ao contrario, as vezes preciso de algo super necessario e ela não da, eu ate acho errado, pois sei que ela tem condiçoes e tal.
Acho que o bom é ter os dois!

Michele Gomes disse...

Flavia,

Vivo como você, TUDO que eu tenho é graças ao meu esforço. Às vezes me pego pensando se tivesse um paitrocinio se tudo não seria mais fácil, só que vem depois vem meu orgulho(e paz) de dizer que EU consegui tudo, sozinha.

Whammy ! disse...

Melhor eh ter um paitrocinio ...Mas o problema as vezes eh que o pai pode ficar tacando na cara que o que vc tem foi por causa dele ... se o pai nao faz isso otimo, mas corre o risco. Eu tenho uma historia quase parecida, jah tive "orgulho" hoje tenho um maridocinio hahah e nao tenho vergonha nenhuma disso!

Flavia Mariano disse...

Sam, dizem que o primeiro passo para um sonho se tornar realidade é acreditar nele e você acredita. Assim, fale quantas vezes for preciso do seu sonho de vijar para o exterior.

Estou ajudando uma menina de 27 anos a orgnizar a idade dela para Turquia. Vejo como na minha cabeça é tudo fácil e na dela está tudo tão confuso. Em 5 minutos eu acabo com a confusão dela.

Lembro de vc quando falo com ela, porque esse sonho dela é de menina. Estou pedindo autorização para colocar essa organização no Juntos pelo mundo, acho q vai fazer sucesso.

Beijos

Flavia Mariano disse...

Marcos Satoro - você tem um fã: minha mãe. Todas as vezes que você comenta ela diz: isso é que objetividade!

Lu - Essa minha amiga passa por umas coisas dessas sim. Tipo, a casa dela é dela mas... todo mundo pode vir a hora que quer. Não preciso nem pedir. Nesse ponto acho que você matou bem a charada.

Érika, eu coloco bons posts e você completa nos comentários, sempre bom ter a opinião de uma psicóloga!

Essa sua frase: "Fechamos assim, prefiro ter patrocíciono e fazer algo de que possa me orgulhar, sem medo de passar necessidades." Juntando com o comentário da Luisa é o necessário para avaliar. Mas de verdade?

Tudo na vida tem seu preço e melhor pagar u preço no conforto do que com orgulho.

Mas no carro vim pensando... Tem lá seu lado bom de dizer: eu comecei do zero e hoje estou aqui! Mas isso é bom hoje, porque enquanto eu me privava para chegar aqui... Os com paitrocínio aproveitavam na Disney!

Flavia Mariano disse...

Lucia!

Sabe que pensei em você essa semana? Tinha tempo que você não comentava. Você tem uns comentários sempre tão sensatos que às vezes penso: O que a Lúcia pensaria sobre isso...?

CLEA - Estou aqui adorando sua sinceridade!

Sua frase: "Tem algumas coisas que ate acho normal como casa."

É tão estanho para mim... Eu sempre soube que se eu quisesse uma casa, teria que ir colocando tijolo por tijolo, já que o incompetente do meu pai não ganhou na Megasena!

Eu nem sei como seria GANHAR uma casa, sem esforço... Deve ser bom demais.

Flavia Mariano disse...

Michele - o que podemos fazer com pais incompetentes!? Vou dar um prazo para o meu ganhar ao menos no Bingo do bairro!


Whammy - maridocínio também vale! Aceito casa com um príncipe!

Marcos Satoru Kawanami disse...

saudações à fã. a objetividade vem da ausência de dúvida. cof cof...

;p
Satoru, com u no fim, u de urubu, de urucum, de urna e cofrinho... é por aí.

Ella disse...

Claro que é melhor ter um "paitrocínio". Orgulho, querida, pra quê ? Grande coisa dizer "Comprei com meu esforço!" Isso é bobagem, o que importa é o resultado final. E quem critica uma pessoa pq ganha tudo dos pais, critica por que sente inveja, porque precisa ralar muito pra ter qualquer coisa.

Se uma pessoa pode contar com os pais para ter as coisas, por que não ?

Eu morro de inveja quanto vejo amigas minhas ganhando coisas que eu nunca ganharei dos meus pais e que eu não sei quando comprarei pq estou desempregada. Mesmo desempregada eu não ganho nada,.... roupa, sapato, livro, nada, nem graninha pra um cinema.

BJS !

Jane disse...

TUDO que eu tenho, e não é muita coisa, eu adquiri com o meu esforço.
Eu comecei a trabalhar cedo, ralei muito, estudei por minha conta e tenho sim MUITO orgulho disso.
Sou Professora, tenho dois cargos públicos e ganho mal. Atualmente moro com meus pais e pago as contas da minha casa (água, luz, telefone, internet, etc.) pq meu salário é maior que o do meu pai.
Estou sonhando e planejando comprar minha casa agora e quer saber?
É mt boa sensação de andar com a próprias pernas por mais difícil que isso possa ser, mas eu não ia achar nada mal se tivesse a ajudinha de alguém.
Acho que ganhar tudo de mão beijada talvez me traria uma sensação de impotência, depência ou fracasso, mas só um empurrãozinho pra agilizar as coisas seria muito bem vindo.

LICIA TATIANE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LICIA TATIANE disse...

Eu estou na mesma situação sua,esperando uma fatia da mega que também me prometeram,rsrsrsrs...Eu não teria problema nenhum em ter um pai ou quaquer pessoa me patrocinando.O orgulho não leva ninguém a lugar nenhum e muito menos enche barriga.Essa semana eu estava conversando sobre isso com uma amiga.Meu marido me falou que depois que meu curso de cabeleireiro acabar vai montar um salão de beleza para mim,minha amiga me perguntou se eu iria aceitar e se ele é do tipo que passa na cara quando dá alguma coisa.Bem, se ele faz isso é problema dele,a parte que me cabe é cuidar da minha sobrevivencia.Orgulho?Engulo trabalhando no meu próprio salão.Beijos.

Long Haired Lady disse...

eu acho as duas coisas...rs
deve ser muito bom conquistar tudo só, tudo ser fruto de um trabalho.
mas confesso que ter apoio financeiro em horas apertadas ajuda muiiiito!

ps. nao tenho pai rico, sou filha unica.

Lucia Cintra disse...

Fla, desculpa o sumico dos comentarios, mas estou sempre lendo seu blog do celular no onibus e fica dificil comentar e escrever tudo que quero daquelas teclinhas pequenas, rs. A maioria das vezes ate leio pelo Google Reader e dali nem tem o campo de comentario.

To devendo presenca nos cantinhos dos amigos, mas minha vida esta meio caotica agora, rs. Vou fazer o possivel pra remediar isso, pois adoro voces e sei como eh gostoso receber um recadinho!

bjos

Lu Souza Brito disse...

Flavia,

Também sempre tive que ralar desde muito cedo (cedo mesmo, com 10/11 anos). Minha mãe ficou viúva assim que nasci e com um bando de pirralho para criar, não tinha como ser diferente. Valorizo muito meu esforço.Aprendi que querendo, a gente conquista o que quiser, mas além disso tem que se esforçar, não dá para esperar as coisas cair do céu.
Agora, claro que adoraria ter um paitrocínio. Tantas vontades já passei na vida, outras tantas coisas que quero e sei que terão que esperar, pois só posso fazer uma coisa de cada vez.
Não teria orgulho em aceitar um presente, algo que facilitasse minha vida, como um carro (vou me virando com uma Bis), mas sem ser parasita, porque para mim não tem nada mais indigno que uma pessoa ficar apenas sugando os outros, sem se mexer e fazer por merecer o seu. Mesmo porque pai/mae nao é eterno e dinheiro mal administrado acaba rápido. É preciso ter competencia pelo menos para seguir adiante!
beijos

Eu, Dam, para mim... disse...

Já pensei algumas vezes em como seria ter um paitrocinio, ou maridocinio...Seria mto bom. Ganhar uma casa? Ai senhor! e um carro? Seria simplesmente maravilhoso. Eu acho que não teria orgulho não. Mas sei tbm que as coisas conquistadas com o próprio suor dá uma sensação boa, de lutei e consegui, isso é mto bom de sentir. Motiva e te faz sentir util. A unica coisa que fiz sozinha na vida foi ter pagado meu casamento (vestido, festa, igreja,tudo), e agora pago minha facu, e desde os 18 sempre paguei minhas despesas pessoais. Mas quero mto conquistar coisas minhas. Deve ser um prazer sem igual.

Raquel disse...

Bom, como sou a amiga do "paitrocinio" comentado aqui, adorei ler os posts que a galera colocou... Me senti até aliviada!!!

Grande parte das coisas que tenho realmente vieram do meu pai, não porque eu pedi, exigi, mas talvez porque mereci. Não só eu, como meus irmãos. Foi uma opção do meu pai viver para os filhos, seu objetivo de vida é esse, que nunca falte nada para a gente... Da mesma forma que ele me deu uma casa e um carro, também fez isso pelos meus irmãos. E nem por isso eu me acomodei, sempre estudei em escola pública, nunca fiz viagem ao exterior, não ganhei um carro 0km, não usava roupas de marca, mas mesmo assim sempre corri atrás dos meus desejos, sempre trabalhei, até contra a vontade dele. Isso foi no inicio da faculdade, ele queria que eu me dedicasse aos estudos, ele sempre disse: "enquanto eu posso te ajudar, se dedica a coisa mais importante para a sua vida, que é estudar". Mas mesmo assim eu corria atrás e arrumava um estágio ali, um emprego aqui... Enfim, tenho orgulho de saber que posso contar com meu pai, mas também confesso que morro de vergonha quando ele me ajuda, principalmente por eu ser casada e já ter um filho, que é a paixão dele. Da mesma forma que fui criada tendo tudo do bom e do melhor, meu pai sempre impôs limites em tudo, e no entanto não sou gananciosa e fico com a bunda sentada no chão, esperando ele morrer para receber minha herança, pelo contrário, agora que ele está muito doente, eu entro em desespero só de pensar em não ter ele ao meu lado, não por causa do seu dinheiro, mas por ele ser meu pai, meu porto seguro...

Bom, sou cumplice de falar alguma coisa positiva ou negativa sobre o assunto, afinal sou a personagem principal do post, mas de uma coisa eu tenho certeza: tudo que eu conquistei e ainda vou conquistar em minha vida é somente para garantir um bom futuro para mim, meu marido e principalmente para o meu filho. Da mesma forma que nunca me faltou nada, jamais quero que falte algo para ele... Mas pode ter certeza que uma coisa ele vai aprender: a gente só tem o que merece!!!

Beijos e... AMEI o post!!!

Raquel disse...

Ahhh, só para complementar meu comentário: "A pena é que não casei com marido rico para continuar tendo tudo do bom e do melhor...Ou seja, o melhor é ralar e ainda ter o maior orgulho das coisas que ganhei dos meus pais e estou conquistando com meu marido!!!!"

Dahiane disse...

Acho isso mto relativo. Aqui em casa nossos pais nos dão o primordial. Eles não podem nos dar "luxos e mimos" pois a condição financeira não permite. Mas valorizamos mto o que eles nos dão e o suporte para que possamos conseguir alcançar nossos objetivos-sonhos pelas nossas próprias pernas. Porém tenho amigas com maiores condições financeiras e que valorizam td o que os seus pais fazem por elas e nem por isso se acomodaram, pelo contrário. Acho que tudo varia mto da criação que é recebida. Os pais precisam ensinar aos filhos o qto vale o esforço de cada um em prol dos seus objetivos. Não vejo problemas no "paitrocínio", mas sim na forma como a maioria desses pais agem e nas implicações que essas ações podem ocasionar qdo não são respaldadas pelo bom senso, educação e dialogo.

Adriana Alencar disse...

Acho que isso é muito pessoal, tenho uma amiga que tem um pai como esse, que lhe dá tudo, mas também a ensinou a batalhar, e hoje ela é uma profissional liberal super bem sucedida e o pai dá alguns "mimos" de vez em quando, apenas isso.
Se fosse comigo, acho que preferiria o orgulho...
Bj
Adri

Gabriela disse...

Oi Flavia!
Nem sempre quem tem um paitrocinio é só por ter...
Tenho muitos amigos com pais milionarios, mas que ensinaram os filhos a contruirem sua fortuna tambem... e se o filho der valor, e for merecedor, qual o problema de ter ajuda do pai?
Só por isso o merito dele é menor? Tambem batalharam e ralaram pra ter a grana que tem hoje.... nao se pode generalizar...

Pandora disse...

Não tenho nem duvida que é melhor ter PAItrocinio!!!

Concordo com cada palavrinha, cada observação!!! Quem trabalha de sol a sol, quem tem pai que joga na Mega Sena, sabe bem o que é não ter step e que falta isso faz!

Perfeito o texto, sinto-me desabafada!

Anônimo disse...

Olha, é muito melhor conquistar as coisas na vida sozinha. POREM uma pessoa nao tem culpa de nascer rica concorda? Paris Hilton, rica, herdeira, riquissima!!! Porque ela viveria numa casa mais simples se pode viver numa mansao? eu sinceramente nao acharia ruim ter pai que me bancasse. Meu pai eh rico, porem, ele so paga as coisas para as minhas irmas, pq eu nasci fora do casamento. Ele prometeu que ia pagar faculdade e nao pagou. Minha irma ja mudou de faculdade ele paga numa boa. Minhas irmas e ele viajam o mundo e eu mal saio da minha cidade. Acabei passando numa faculdade federal e estou gostando. Um dia vou ter orgulho de olhar para tras e falar " Obrigada pai por nao me ajudar em nada, isso me fez lutar ainda mais"!
E dificil as vezes, mas pensando bem, concordo com o que vc falou. Eu prefiro ter orgulho.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...