segunda-feira, 16 de março de 2009

Como acreditar em si mesmo e não desistir?

Ontem uma biografia da J. K. Rowling, lida há algum tempo atrás, caiu na minha mão. Recomendo.

Tudo o que li passou pela minha cabeça rapidamente. Pensei em quantas J.K.s estão por aí, mundo afora, tentando mostrar que têm valor. J.k.s jornalistas, empresárias, donas de casa, costureiras, advogadas, escritoras. Todas nasceram com brilho, mas poucas nasceram com um ingrediente primordial dos vencedores: a difícil habilidade de acreditar em si mesmo, incondicionalmente.

Pensar que tem talento, todos nós pensamos. Isso não é qualidade, é condição do ser humano. Mas acreditar tanto no seu talento a ponto de olhar para os lados, não ver nenhum reconhecimento, fazer errado, tentar novamente, aprimorar e continuar é um dom destinado a poucos. Afinal, como acreditar que um bruxinho de uma história fantasiosa a faria bilionária? Eu mesma me mandaria arrumar um emprego de verdade.

O livro “O segredo” e tantos outros fornecem fórmulas temporárias. Acreditar em si mesmo é mais profundo. É fazer uma derrota monstruosa, parecer apenas mais um obstáculo. Enquanto alguns desistem, pessoas como J. K. Rowling aprendem.

Não sou fã dos livros dela, apenas porque a temática não me atrai. Mas, com sua biografia em minhas mãos e sua história na cabeça, só me restou refletir: Como acreditar em si mesmo e não desistir?

9 comentários:

Fabianne disse...

Difícil isso!!!! Acho que antes devemos trabalhar nossa auto estima e auto aceitação. Aí, depois deste exercício enorme, estaremos prontos para seguir em frente com nossos sonhos

Ana disse...

Acho que o mais difícil é ter a sabedoria e a auto crítica para distinguir se uma crítica ou uma derrota não são um ponto final e sim um ponto e vírgula. Como saber quando (e se) chegou a hora certa de desistir ou continuar?
Viver não é facil, não é mesmo?
Um abraço,
PS: sou advogada e escritora, ou seria escritora e advogada, rs

Linda Carioca disse...

Ah, não sei... mas concordo com a Ana.

Juuuu disse...

O auto-conhecimento é a primeira coisa para resolver qualquer problema psicológico!
Se a pessoa não se conhece verdadeiramente, fica difícil até para reconhecer qualidades, defeitos, dificuldades e encarar os problemas.

beijos

Mariachiquinha disse...

Concordo com a Fabiane:
"Acho que antes devemos trabalhar nossa auto estima e auto aceitação".(2)

Se você não acreditar em você mesmo, ninguém fará isso por ti.

Mariachiquinha disse...

Tem um selinho pra ti no meu blog! ;)

Anônimo disse...

Flávia,
Qual o nome deste livro?
Obrigada!

Juuuu disse...

Olá,
li este post hoje no 'Meu nome é Silvia' e me lembrei de um post que você colocou sobre os 30 anos. Acho que vale a pena ler:
http://meunomesilvia.blogspot.com/2009/03/mulheres-de-30.html
beijos

Carolina disse...

Como vc mesma disse, acreditar em si mesma todo santo dia, qdo tudo está errado e de pernas pro ar, é um dom para poucos.
Cada vez que alguma coisa dá errado a nossa vida estaciona, e às vezes até dá passos para trás. Mas se nessa hora, além disso a gente pára pra jogar a toalha e se lamentar, a vida fica mais tempo parada e anda muitos passos pra trás.
Tá falar é bem fácil. Mas saber disso é meio caminho andado pra se policiar e não se deixar dominar pelo derrotismo.

Ah, mas parar pra se lamentar um pouquinho pode. Até deve. Chorar é bom. Não resolve nada, mas é bom.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...