quarta-feira, 8 de abril de 2009

As pessoas mais desistem do que fracassam?

A Claudia Acourt, chamou e eu fui ver um lindo depoimento sobre abrir portas na vida, que ela fez em seu blog.

Jornadas só são bonitas de serem escritas e lidas quando levam à vitória. Quando levam ao fracasso são desinteressantes e dizer que aprendemos com os fracassados, é como dizer que preferimos andar de ônibus a andar de Ferrari.

Nós temos a tendência de só valorizar a vitória e não a jornada. Não valorizamos quem está no processo, no olho do furacão, tentando, se esfolando. Ou alguém lembra de mandar uma cartinha para a moça dessa foto? Para quem não sabe ela ainda está na jornada tentando voltar a ser atriz. Conseguiu um papel, mas já foi esquecida. Confesso que não teria sua força.

Temos várias jornadas a vencer na vida. Seja a do amor, como no caso da Carol, uma paulista que namora um rapaz do Paquistão. Seja no pessoal como a Cláudia que largou tudo e foi para Itália em busca de sua realização. Seja profissional como a maioria das pessoas que acordam tendo que exercer a difícil arte de acreditar que um dia seu trabalho será reconhecido.

A idéia da jornada é excitante, mas as mínimas vitórias confrontadas com as imensas derrotas, fazem com que, em muitos casos, a gente deixe a idéia de lado e se conforme com os caminhos mais curtos. Vem a voz e diz: Para que tentar se sei que não vai dar certo? ou Vai exigir muitas privações...

Talvez, por isso, a frase de um amigo da Cláudia seja o que tenha me chamado mais atenção em seu texto: As pessoas mais desistem do que fracassam?

6 comentários:

Zingara disse...

Boa reflexão.

Estou numa frase de transição ONDE mais desisto que insisto. E não sei se é bom, mas me sinto IDIOTA quando continuo a insistir, por isso ABRO OUTRAS PORTAS.

Todo esse texto me lembrou uma música do Pato Fu que diz "As brigas que ganhei nem UM TROFÉU como lembrança pra casa eu levei. As brigas que perdi, estas SIM, eu nunca esqueci".

Beijo e sucesso!
Zin

Juuuu disse...

Acho que as pessoas desistem quando acreditam que o fracasso será certo.
Antes de chegar ao fim para fazer o check elas desistem por conta dos obstáculos e da impressão de que o esforço será em vão.

beijos

Manu disse...

Eu n costumo desistir com facilidade.
E só fracasso quando desisto.
Fato!

Claudia Acourt disse...

Sabe Flávia, eu acredito que o mundo vive a fase dos genéricos. Se não pode levar este, leve um similar. E a vida se tornou assim, de um modo geral. Os relacionamentos, os empregos, o divertimento, os projetos se tornaram genéricos. Quantas aceitam começar um relacionamento sem futuro enquanto o amor não vem? Quantos desistem de fazer uma faculdade (como aquela amiga que vc relatou em alguns post atras) pq sempre arrumam outras prioridades? Quantas dietas começadas e jà com data de validade vencida? Afinal, precisa-se emagrecer 15kg e, ao invès de encarar uma reeducaçao alimentar, opta em fazer uma dieta maluca para emagrecer 4kg em uma semana e entrar naquele vestido para a festa de final de ano.
As escolhas pelos genèricos são pequenos fracassos escondidos em formas de novas opçoes.
Porém, acredito no fracasso puro e simples. Algo que realmente tentou e não foi possível realizar. As vezes, dependendo do assunto, pode ser mais sábio aceitar o fracasso do que continuar a tentar mas, jamais desistir sem antes realmente tentar. Redundante? Paradoxal? Complexo? Sim, tudo isso e um pouco mais.

Bacio

Annah disse...

Sim, eu penso que sim.Porém ao meu ver desistir é fracassar.
Então as pessoas mais desistem e fracassam. O medo, a comodidade faz a desistência então isso é o francasso.

Anônimo disse...

Esta é aquela atriz Narjara Turetta!!! Nossa! Como está acabada! Lembro dela em Malu Mulher! Uma pena ter ficado assim...

Anandra

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...