segunda-feira, 15 de junho de 2009

Até onde os pais podem interferir num relacionamento?

Zapeando no fim da noite, encontrei Dr. Rey. Famoso no seriado que mistura cirurgia plástica com vida pessoal dos médicos. Neste episódio, ele reclamava da esposa que só age guiada pelos conceitos da mãe.
A sogra foi chamada para ajudar na educação dos filhos mimados, na reforma frustrada da cozinha e até para a escolha dos brinquedos a serem doados, porque a donzela não dava conta de fazer nada disso sozinha.
Dr. Rey era explícito em toda sua frustração por não ser ouvido pela esposa. Sentia-se como o provedor de dinheiro para os luxos de todos. Ela nem ligava.

Encontrei a prima de uma amiga. Ela estava com a mãe que dizia que estava muito feliz porque a filha iria passar alguns meses em Londres ao lado dos dois irmãos que já moram lá.

O detalhe é que a jovem de 28 anos está morando com o namorado de mais de seis anos juntos. A família dela sempre se opôs claramente. A mãe encheu a boca para me dizer: quem sabe ela não encontra um londrino e fica por lá? A filha deu um sorriso amarelo.

Há dois anos atrás ela foi para Londres visitar os irmãos e se envolveu com um cara. Traiu o namorado, claramente pela pressão da família. A mãe e todos vibraram. Mas ela voltou para o Brasil e para o namorado. Mas pelo visto eles só vão desistir quando os dois terminarem.

Perguntei se ela o amava. Ela disse que muito, mas que a relação é conturbada. E a de quem não é? A da própria mãe é uma bagunça só.

A família é importante na vida de todos, mas quando se opõe a um relacionamento ou se acha capaz de julgar o que é melhor para um membro aí é difícil. Alguns pais agem como se nunca tivessem feito burradas na vida ou como se soubessem o certo e o errado. Até mesmo em um instinto de proteção.
Já alguns filhos deixam os pais irem além do permitido. Às vezes sua interferência não é tão explícita como no caso da prima, mas é indireta como no caso de Dr. Rey. Desapontar os pais não é fácil, mas necessário. Por isso fica a pergunta: Até onde os pais podem interferir num relacionamento?

20 comentários:

Georgia disse...

Eu acho que pai e mae nao devem resolver os problemas dos filhos. Dar uma palavra, uma orientacao. Mas tb Flávia, você vê o indivíduo anos e anos namorando a sua filha e nada sai desse balaio? Ah tenha dó viu. Toda mae e pai sonha com o casamento dos filhos, ou que eles sejam ao menos felizes. Eu acredito que a familia tb nao sente confianca no cara. Mas hoje em dia é tudo assim. Mas tb acho a menina muito conformada com a situacao conturbada. Tem gente que mesmo infeliz nao quer arriscar nvos horizontes. Prefere ficar sem saber que poderia mesmo ser muito feliz.

Um beijo grande

Paula disse...

Não deve se meter em nada.

Anônimo disse...

Oi, sou Amanda. Não sou de postar. Mas leio tudo q passa por aqui.

Pra mim, pai e mãe não tem que se meter mas as vezes a gente é que deixa eles se meterem.

Tenho uma amiga que namorava um cara muito legal, mas os irmãos dela implicavam demais. Faziam um monte de piadinhas só porque o cara era mais na dele, não gostava de churrasco todo fim de semana e etc.

Uma vez fizeram uma brincadeira de jogar as pessoas na piscina. Ele não brigou com ninguém mas saiu bravo pq não gostou. Quando ele foi embora, eu ouvi a mãe dela e os irmãos falando mal dele, dizendo que ele não aceitava brincadeira e falaram mais um monte.

Pra mim isso é interferência pq eu via como eles colocavam coisa na cabeça dela. Era como se se falassem: não é bem isso q queremos para nossa família. É aquilo q vc falou de atingir de forma indireta.

Até que ele terminou e começou a namorar uma outra amiga nossa, bem mais independente das opinião dos pais. Estão bem felizes. Ela gostava dele mas não teve força para colocar a família no lugar dela.

Para mim, o conselho dos meus pais vale muito mas se o cara não for um marginal ou drogado, eu vou viver o meu amor da minha forma. É péssimo quando a família do namorado deixa claro que não gosta da gente. O cara pode até não ser o melhor do mundo, mas é o q eu escolhi.

Pra primeira vez eu falei muito rsrsrs Bjo

Cheers! Fla disse...

Olha, meus pais sempre me guiaram e deram sua opiniao, mas fica nisso, eu faco o que quero com quem quero e como quero ha, ha, ha. Ainda bem que meus pais sempre tiveram uma cabeca aberta e sabem que a proibicao ou a cobranca soh acaba no oposto acontecendo, ou seja, a pessoa "faz birra" e no fim ninguem fica feliz.

Meus pais sempre falaram para nos (eu e o meu irmao) fazermos o que nos fizesse felizes, logicamente, eles nos guiaram para que tomassemos a melhor decisao, mas a ultima decisao foi sempre nossa. Se eles jah meteram o bedelho na nossa vida? Logico e quais pais nunca o fizeram? Ainda mais depois que a Victoria nasceu, ha, ha, ha, mas a gente conversa, discute, eu acabo fazendo o que eu acho o certo e pronto. Se eu estiver errada, no final, ai aprendi a licao ha, ha, ha.
Acho depoie que os filhos crescem, os pais estao ali para te guiar, mas nao para falar o que a pessoa deve ou nao fazer, cada um tem sua vida e o que eh bom para mim pode nao ser bom para o meu pai e assim por diante.

bjs

Bia disse...

Por experiencia própria: muito!
Eh bem doloroso quando as palavras nao foram ditas, a pessoa se sinta pressionada a escolher um dos dois lados, ou o namorado, ou a familia.
As vezes a familia tem suas razões em não achar que a pessoa seja a certa, mas fazer confusão, sinceramente não ajuda em nada, apenas machuca a pessoa que está sempre no meio mais ainda.

Carolina disse...

Depende, às vezes o filho está cego mesmo pra burrada que está fazendo e simplesmente não dá pra ficar de braços cruzados qdo todo mundo já sabe o resultado do que está acontecendo.
É tudo muito relativo. mas o problema é que não há filtros para os pasi: aonde começa a sua vontade e a vontade de que seu filho seja feliz, realizado e blá blá blá. tem que existir um certo distanciamento para entendermos com clareza não só a vontade e liberdade dos nossos filhos, mas as nossas vontades. É difícil, requer praticar para chegar a um bom equilíbrio entre o seu desejo e dos outros.
isto tudo me lembra um namorado que tive que eu dizia que vivia o cúmulo da independência porque morava sozinho, tinha sua independência financeira ( eu achava) e mesmo assim dependia emocionalmente dos pais até começar a perceber que até a fatura do cartão de crédito quem pagava era o "papi"...

camila disse...

Oi Flavia, vim retribuir a visita...
Interessante eu vir parar aqui logo nesse post. Sobre esse assunto, infelizmente, eu conheco muito bem, senti na pele. A familia do meu marido e contra meu casamento. Enquanto namoravamos, estava tudo bem. As coisas mudaram mesmo depois que nos casamos, e ficaram impossiveis ha um ano e meio. Preconceito puro. E uma barra muito pesada. Eu tive a sorte de ter um marido que enxergou tudo sozinho, e hoje em dia a gente nao se relaciona com a familia dele. E muito dificil, e a gente tem que ter muito cuidado pra nao afetar o nosso relacionamento. Mas a historia e longuissima, e ate minha enteada eles colocaram no meio. Muito triste.
Eu acho que de uma certa forma, pais sempre interferem, mas existe uma diferenca entre dar conselhos, guiar, e impor. Acho que como pais, o melhor presente que a gente pode dar aos nossos filhos e mostrar a eles o caminho que nos achamos o melhor, o que nao significa o unico caminho. E dai eles fazem suas escolhas. Comigo foi assim. Ja fiz muitas escolhas na vida as quais tenho certeza que meus pais nao concordavam 100%. Mas apoio eu sempre recebi. Acho que isso e o mais importante.
Gostei daqui. Voltarei mais vezes.

Flávio disse...

Eu acho que os pais nao devem interferir. Eu sei que eles sempre pensam e dizem coisas para nosso bem, mas faz parte da educacao tambem deixar os filhos se virarem.

Andrea disse...

Eu acho que os pais influenciam nas vidas dos filhos sim . Tem alguns que falam pelo bem dos filhos porque sabem que a pessoa não é boa pro seu filho e por querer o melhor pra eles envolvem na vida deles .Também ja vi pais "implicarem " com o relacionamento do filho do nada ,,que não gostam da pessoa por acharem não ser a pessoa ideal ..Dificil né ???opnar sobre isso ..

Isadhora disse...

Oieeee...

esse filme que eu coloquei no blog ainda nao está na locadora, viu?

acabou de começar no cinema...


ahhh... a vantagem de ser seguidora é que o proprio blog me avisaria quando vc colocou postagem nova....

Ter que ficar entrando no seu blog todo dia só pra ver se tem coisa nova é trabalhoso, entendeu??

Facilita aí pra gente, vai!!!

Pq vc decidiu não colocar isso?

Karol Borges disse...

Ameio Blog , Parabéns

Luciana Håland disse...

Não devem se meter em nada, 0%.
Mas infelizmente a coisa não é bem assim, e acho que muitos relacionamentos são conturbados exatamente porque a família se mete. No caso da garota, não tão mais garota, que vai pra Londres, acredito que a pressão da família é tão grande, as interferências, isso principalmente da mãe, que ela não consegue estar por completo no relacionamento, e por isso não ser totalmente bom.
Meu relacionamento com marido é excelente, mas muitas vezes imagino se eu tivesse perto da minha família, se isso não iria interferir negativamente, principalmente quando minha mãe conta algum acontecido entre um casal onde as mães de ambos foram lá pra 'resolver', e isso pra mim é irreal demais, onde já se viu?!!!
Outro dia conversando com uma amiga virtual que estava pra casar, ela disse que estava super triste porque a mãe tinha dito que esses (o casamento) não eram os planos dela pra filha. Baita de um egoísmo, ela (a mãe) viveu e fez os planos dela, talvez com interferência da própria mãe, aí tem uma filha e resolve decidir o que é melhor pra ela, os planos que tem pra filha, esquece de perguntar se a filha está feliz e ponto.
Não, interferência dos pais ou de família é péssimo.

Beijo

Rosangela Cunha disse...

Claro que deve se "meter", contudo que não seja de forma abusiva, discretamente... Já pensou num momento onde seja necessário a presença dela?! A mãe nunca pode ser deixada de lado. Beijos!

BarbieGirl disse...

Estou por aqui... gostei do seu cantinho!

Bjks

Anônimo disse...

OS PAIS NÃO DEVEM SE METER NA VIDA DOS FILHOS DEPOIS QUE É DE MAIOR. O FILHO DE MAIOR TEM TODO O DIREITO DE SAIR DE CASA E SUMIR CASO NÃO AGUENTE PRESSÃO DOS PAIS! INFEILIZMENTE AINDA HÁ PESSOAS Q SE SUBMETEM A TRADIÇÃO DE QUE OS PAIS DEVEM ESCOLHER CONJUGUES PARA OS SEUS FILHOS.. .TODOS TEMOS LIVRE ARBITRIO ... TODOS SOMOS LIVRES! O MEU CONJUGUE TEM QUE AGRADAR PRIMEIRAMENTE A MIM E NÃO AOS MEUS PAIS OU SOCIEDADE. CABE SOMENTE A DEUS DETERMINAR O NOSSO FUTURO, OK? NÃO QUERO SABER SE PENSAM O CONTRARIO, MAS TENHO PERSONALIDADE PROPRIA E SOU LIVRE. PAIS POSSESSIVOS PRECISAM DE SER INTERNADOS, POIS ISSO NÃO É NORMAL!

OBRIGADO.

Anônimo disse...

Oi Flávia essa é a 1ª vez que posto aqui. Vivo na pele esse assunto.Mas agora às vésperas dos meus 30 anos, resolvi tomar as rédeas da minha vida e casar ainda esse ano com meu namorado (estamos juntos há 3 anos). Sou filha única e às vezes tenho a sensação que minha mãe pensa que ainda tenho 10 anos. é uma barra. Mas é a minha vida e eu tenho que ir atrás da minha felicidade. Acho que os pais até podem interferir na vida dos filhos...mas tudo tem limite.Para crescer é necessário arriscare eu estou consciente de cada preço. é isso que importa na minha opinião!
Bjs e adorei o blog! Essa é a minha crise dos 30!!!!

Anônimo disse...

Gente,

Passo isso na pele, perdi relacionamentos com pessoas muito bacanas. Prova disso, já namoram com outras pessoas e estão firmes e fortes.
Minha mãe faz da minha vida uma inferno, nao estou exagerando é verdade. Me coloca como se eu fosse a pior pessoa do mundo, ela precisa de toda atenção.
Gente, nos meus dois relacionamentos ela chegou a fazer escandalos, tenho vergonha dos rapazes até hoje. Chegou a me bater na frente deles.
Eu não queria magoá-la mas tb nao gostaria de ficar nesta situação, já tenho idade suficiente e trabalho. Já saí de casa por isso , mas ela acabou entrando em depressão e tive que voltar urgente pra casa.
Hj fica difícil, concilio trabalho e estudos e tudo necessita que eu arque financeiramente.
Me perdoe, mas ando aflita com isso. Beijos

Livia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Boa tarde!

Somos católicos(eu e minha esposa),temos uma filha de 22 anos que é evangélica. Minha filha teve 3 namorados, e nunca interferimos diretamente nos namoros,pois acreditamos que ela tenha orientação da igreja e principalmente de Deus,mas procuramos orientar para que ela escolha um rapaz que compartilhe dos mesmos interesses materiais e espirituais e dessa forma encontrar uma pessoa digna que a mereça.

Eduardo

Anônimo disse...

Olha, o conselho dos pais é muito importante eu aceito isso, mas é fundamental tbm q os pais tentem se aproximar do namorado(a) conhecer mais a pessoa, ao invés de julgar pela primeira impressão, isso é horrível, meus pais nem se interessam em conhecer o meu namorado e acham no direito de JULGAR, julgar e julgar é só oq fazem, isso ta de uma certa forma atrapalhando o meu namoro por me deixar triste, mas tbm ta fortalecendo cada vez mais o meu namoro, pois eu conheço ele muitoo mais do q meus pais, ent pra mim os pais devem opinar quando conhecerem, conversarem com a pessoa e ñ sair julgando.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...