segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Você ainda é você ou já virou ele?

Há uns 10 anos atrás, eu trabalhava em um distribuidora de livros e, na hora do meu almoço, costumava abrir alguns livros de maneira aleatória. Num diálogo, um homem dizia:

- Ela não era mais ela. 
- Como assim?
- Ela se tornou uma outra pessoa. Quando eu olho para ela, eu só via a mim mesmo.

Na hora nem me toquei. Por isso, nem guardei o nome. Eu estava namorando há 2 anos, até que algo aconteceu. Esse diálogo pulou à minha cabeça. Pude ver claramente que estava  abrindo mão de certos desejos e sonhos porque: agora eu tinha um namoro sério!

E ainda me convencia de que era aquilo mesmo o que eu queria! "Era uma nova fase". Ah tá.

Mesmo assim, arregacei as mangas e me policiei.

Durante a viagem do Projeto 30 em 30 meu namorado disse algo que me chocou: 
"Sabe por que eu te amo tanto assim? Porque mesmo estando comigo há tanto tempo, quando eu, sem nem perceber, tentava fazer você ser mais eu do que você, você ainda mantinha seus sonhos vivos, passava por cima das minhas imposições. Você nunca deixou de ser você, nunca deixou de ser a pessoa pela qual eu me apaixonei."

Eu fiquei pasma! Mas sorri do outro lado da linha. Durante esse 12 anos ele disse, por várias vezes: "se não assim está terminado!" Eu sentia meu coração desmaiar, mas mantinha minha palavra. Pelo "nosso" bem.

Uma amiga diz: "Eu sei o jeitinho para convencer meu marido. Homem você tem que deixar ele achar que a idéia foi dele." 

Hein?! 

Uma outra diz: eu grito mesmo!

Oi?!

A parte do gritar eu já fiz, por anos, ficava mais estressada que ele e nao resolvia. Aprendi a expor a minha opinião e desejo. Ele escolhe negociar ou aceitar tudo do jeito que quero. Desistir, jamais.

A mulher está sendo criada para o mercado de trabalho e achar um homem bacana. E quando acha, o que faz? Estraga tudo. Vira ele. É algo tão louco, que elas se convencem de que aquele desejo é um desejo dela também! Passam a se enquadrar no casamento que a sociedade já institui como correto. A modernidade está na casa do vizinho. Você cede aqui para não ter briga, ali por causa dos filhos e, quando vê, não se reconhece mais.

"Ah... você diz isso, porque não é casada, não tem filho..." Isso quase me mata! Que mulher é essa tão moderna para o mercado de trabalho e tão antiga para a relação a dois?

- Tenho uma amiga que está ai - meu namorado disse diante das imagens de um ano do terremoto no Haiti.
- Médica recém-formada? - perguntei.
- Que nada! Tem uns 43 anos, três filhos e casada. Mas usou as férias para ir ai fazer trabalho voluntário.

Bingo! A admiração dele e de todos na sala, foi geral, imagine do marido dela. Ninguém sente falta do que já tem. Por isso, é bom todos os dias olhar no espelho e dizer: Você ainda é você ou já virou ele?

Twitter - Segue lá!

43 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Eu confesso por anos tentava me encaixar, e me sentia muito mal, ficava deprimida, e arruinada os namoros. Qdo descobri que não poderia continuar, não fiz mais concessões. E isto tem uns 4 anos. Estou sozinha. Mas, feliz comigo!

Abço.

portodaavida disse...

Oi Flávia...
passando pra agredecer a visita lá no meu blog!!!
E aproveitando pra add o seu nos meus favoritos... Muito legal!
bjsss
www.portodaavida.wordpress.com

Sandra disse...

Oi Flávia! é verdade, e digo mais, acredito que muitas pessoas cedem à condição de "virar ele" pelo simples fato de não querer ficar sozinha!

Ora, ninguém quer, mas anular sua vida para manter alguém do seu lado é algo forte demais! E sério! E pra se pensar e repensar!

beijos

Palavras Vagabundas disse...

Olá, gostei do seu post. Fui casada durante 30 anos (até minha viuvez) continuei sendo eu, tive uma vida profissional produtiva e agitada sempre com o apoio dele, mas tenho certeza que hoje sou outra por ter vivido com ele.
abs
Jussara
PS Cheguei aqui através do blog da Lucia.

Albuq disse...

Flávia, eu sei exatamente o que é isso. Tive um namoro que quando terminou, não sabia mais nem do que eu gostava, de tanto me adaptar a ele.
Acredito que são nossos ideais que nos transformam, é isso que precisa ser significativo e diferenciado na gente. bjssss

Priscila disse...

Oi... é estranho quando encontramos mulheres que passam a viver os sonhos do parceiro só por medo de perdê-lo.
Não vou dizer que sempre faço o que quero, muitas vezes cedo sim, adiando um pouco alguns anseios meus, mas nunca desisto, apenas dou um tempo para mostrar a ele o quanto tal coisa é importante para mim ou o quanto tal coisa vai me fazer bem.
E no final tudo fica bem... Sou muito independente na vida pelo fato de morar sozinha, então nunca dependo dele para minhas coisas, isto é bom. Assim ele sabe que nós dois caminhamos juntos e não um puxando o outro...

Beijos

Sam Passos disse...

A gente tem que ter mto cuidado pra manter nossa individualidade independente de qq relacionamento. Antigamente eu costumava cometer esses deslizes... mas após 5 anos solteira (só tive namoro virtual... mas isso eu nem conto, pq eu nem cheguei a encontrar a pessoa... kkk)eu já tenho é dificuldade de aceitar certos tipos de gente... kkkkk... mas vamos combinar q homem bom tá difícil!!! Tá em extinção!!!Eu sou muito eu... pode até ser por isso que eu to só até hj... :/ Um grande amigo meu, de longa data, ou seja, que me conhece bem... disse: "Sâmia, eu noto que vc não precisa ter ngm nesse momento, vc está mto bem sozinha"... confesso q me assustei... poxa, mas e minhas carências, claro que eu me sinto só... mas hj em dia meu padrão é muito alto... eu não aceito mais estar com qq um só pra não estar só... resultado: 5 anos solteira! kkkkk... e se eu não achar ngm q preencha meus requisitos vão ser mais 50 anos só... mas espero q apareça logo essa espécie em extinção pra mim... kkkkk... Bjsssss.... :)

Erika Saab disse...

Flávia, que ótimo post, aliás, finalmente eu encontro um post que fala de relacionamento sem ficar metendo o pau nos homens e que puxa a responsabilidade também para a postura da mulher nos relacionamentos. Fico feliz! Você tem toda razão, o que adianta tanta modernidade, tanta liberdade, se é para continuar com o mesmo velho discursso? Se vitimizando diante dos homens, fingindo que não temos escolha, que somos obrigadas a agir de tal maneira? Isso é ridículo! Se a mulher não expõe suas vonatdes, suas opiniões e vai cedendo a tudo que o parceiro quer, depois não tem direito de reclamar dele. Já passou da hora das mulheres se conscientizarem que elas não são obrigadas a casar, nem a ter filhos e que uma vez que o fazem, não são obrigadas a esquecer quem foram antes disso nem passar a respirar pelo nariz do marido e das crianças. Eu quero parabenizá-la por esse post, inclusive por usar um exemplo seu, mostrando que todas nós podemos falhar, nos deixar cegar, mas que isso não é desculpa para passar a vida inteira de vendas nos olhos. Antes de sairmos atirando pedras nos "malvados" dos homens é preciso prestar atenção no nosso comportamento, no porque deles estarem achando espaço para agir de determinado jeito com umas mulheres e com outras não! Beijos.

Nanci disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nanci disse...

Que interessante esse post. Ja vi muitas meninas mudarem e só fazer o que o companheiro quer...gente..que isso!!! Ou entao só viajar se o marido vai junto...quanta dependencia! Eu voltei da Orktoberfest em Munique outubro do ano passado pensando nisso. E esse ano viajo com uma amiga do trabalho pra Limoges na França, mas tb faço viagens com o marido, estaremo sindo para Roma em junho. Gente, é preciso fazer aquilo que a gente quer, não deixar o outro impor na nossa vida. Não sei se é porque sou casada com inglês há um tempo que a coisa que mais me agrada nele é essa confiança em mim e essa coisa bacana de me incentivar a continuar a ser eu mesma e realizar meus sonhos. Ai muita menina fala, mas ele faz isso porque quer o espaço dele também, BINGO, nada de errado com isso. Não nascemos grudados um no outro, para o relacionamento dar certo é preciso respeitar e dar espaço ao outro para ser ele mesmo.
Abraços

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Estou impressionada com os comentários.

Mulheres decididas com a Unica e Exclusiva.

Da Sandra que nos abre os olhos para o medo de ficar sozinha e assim ser o outro. Como se isso fosse garantia dele não ir embora...

Bom ver a novata Palavras Vagabundas, que nos mostra que é mais do que possível continuar sendo você, mas sendo um casal. E ser feliz! Tem homem bacana nesse mundo!

O que é o posto da Albuq que nos mostra como podemos nos anular sem nem perceber que isso está acontecendo.

Malu disse...

Já que estamos falando de relacionamento...esse final de semana eu vi o filme Ele não está tão afim de você....muito legal...recomendo....
É complicado quando a gente está em um relacionamento de anos, pois a gente vai se acomodando, e acaba esquecendo as prioridades..hehe...a mudança sempre vai existir, um relacionamento pode te ensinar muita coisa...eu acho tão bacana qdo o homem participa das tarefas, ajuda no almoço, decide as coisas juntos...poxa, é uma troca tão bonita entre o casal. Muitas vezes a mulher deixa de ser ela e se torna a dona do lar, que precisa dar conta dos filhos, casa, marido e da profissão como se fosse um pacotão só dela...rsss...parece que ela deixa de ser sedutora e vira a "dona Maria", não falo por mim, mas por um monte de exemplos que vejo por aí...eu só acho uma coisa, as mulheres precisam parar de criticar as outras mulheres, só alguns exemplos, se acontece um imprevisto e a casa fica um pouco suja, mas pq fulana é porca e não limpa...se o filho se comporta de uma maneira, pq ela não sabe educar...e por aí vai, a culpa parece sempre ir para a mulher...não quero criticar os homens, pq quem fala isso são as próprias mulheres...
A mulher precisa deixar de se anular como mulher, não só com ele, mas com todo o "pacotão"... Eu não quero ser a patroa, a "dona Maria", eu quero ser a Mulher........

Lidy disse...

Oie..

Gostei muito do post....

Sabe...um postura de impor seus próprios desejos diante de uma relação é algo bem complicado...até pq vez ou outro vc tem que ceder..até pq a gente acaba cedendo em tantas ocasiões...pra pessoas que nem são tão chegadas...como sua chefe por exemplo.....pq não ceder pra seu companheiro?....é claro que eu penso que se deve ceder qdo isso não pertubar seus principios e fazer vc deixar de ser vc...

Ainda estou numa luta interna qto a isso....antes achava que fazer o que vc quer em detrimento de outrem era egoismo....hoje não penso mais assim...

Beijocas!

Ana Paula disse...

Muitíssimo bem dito, minha cara!
Realmente ... te sugiro um outro post sobre isso: seria porque exista a (falsa) idéia de que os homens estão em escassez?
Grande beijo querida!

Borboleta no Casulo disse...

Nossa Flávia acho que agora descobri porque meus relacionamentos foram todos por água a baixo rs. Sempre que namoro eu esqueço da vida, ou melhor da minha e para tentar manter o outro perto eu acho, ou melhor achava, que agradando ele o msm ia querer sempre estar comigo mas como vc msm disse "Ninguém sente falta do que tem". Ah até me inspirou em fazer um post rs.
Bjsss

Laly Ribeiro disse...

Oiii Flávia!!!
Amei o post! Sabe eu vivi um relacionamento de 4 anos exatamente assim, e olha que sempre fui contra ser assim e brigava mt com minhas amigas qd eu percebia que elas estavam sendo assim, mas qd o namoro terminou eu percebi que vivi tanto a vida dele, que eu não tinha noção do que fazer solteira... é complicado!

Bjs

Anônimo disse...

muito bom post! Não vamos esquecer que o oposto também acontece; conheço alguns casos de homens que se anularam e "viraram elas", em seus relacionamentos...

Paola disse...

Adorei o post. Acho que muitos relacionamentos naufragam justamente porque se tem a ilusão de que os dois, já que estão namorando, têm que virar um. Ninguém consegue viver os sonhos do outro e a vida do outro.
Se quiser visitar meu blog: devaneiosdeadrodite.blogspot.com

bjos.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Priscila bom destacar a sua frase: "Assim ele sabe que nós dois caminhamos juntos e não um puxando o outro..." E acrescento: "Sem um emperrar o caminho do outro." Nenhum relacionamento é perfeito, ceder é saudável, mas precisa ser bem dosado, amor não é ser cópia.

Sam, adorei essa história! Vai virar post, post e post, m breve. Como assim namorou 5 anos virtualmente? Nem tem como virar ele, né? Adorei essa história. O término, como foi?

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Erika, eu nem preciso mais dizer que seu post me deixou extasiada. Mas destaco novamente a parte que mais gostei: "Já passou da hora das mulheres se conscientizarem que elas não são obrigadas a casar, nem a ter filhos e que uma vez que o fazem, não são obrigadas a esquecer quem foram antes disso nem passar a respirar pelo nariz do marido e das crianças."

Para as que passaram sem ver o seu comentário.

Obrigada por acrescentar tanto por aqui.

beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Nanci, seu exemplo é de ouro, muitas mulheres me acham independente, sortuda, diferente, mas sou apenas eu. Luto para ser quem que "acho" que quero ser. E quando aparecem exemplos como os seus, mostram que não é criticar os homens, mas nós mulheres, que como bem disse a Érika, passamos a respirar pelo nariz do maridos e dos filhos como se os nossos já não soubessem mais buscar ar.

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Malu, destacando uma parte do seu comentário: "Muitas vezes a mulher deixa de ser ela e se torna a dona do lar, que precisa dar conta dos filhos, casa, marido e da profissão como se fosse um pacotão só dela...rsss...parece que ela deixa de ser sedutora e vira a "dona Maria"".

Acho que o problema não é ser Dona Maria, o problema é ser uma dona maria sem vida. Como você disse, vira um pacotão que nem o homem quer comprar. Porque ele se apaixonou por uma mulher "diferente" dele e da mãe dele. E essa mulher vai indo embora, dando lugar a uma que se molda ao marido como prova de amor...

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Lidy, ceder é uma coisa, se tornar a outra pessoa é outra. Mas a linha que separa as duas é tão frágil que é preciso estar sempre atenta. Negociar é bem melhor que ceder, menor perigoso...

Ana Paula, idéia de post anotada!

Beijos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Borboleta no Casulo e Laly é isso mesmo que a vida ensina "ninguém sente falta do que não tem". Homem nasceu para ser desafiado, nós mulheres também. Isso nos faz vivos. Imagina, você chegar cansado do trabalho e dar de cara com você mesmo em casa? Sem novidades, novos desafios, boas risadas.

Ser cópia nunca foi bom para nada. Melhor ser original.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Anônimo, concordo plenamente. Mas esses são raros casos. Está provado cientificamente que as mulheres são como massinha, se moldam ao homem.

No meu caso, algumas pessoas acham que meu namorado virou eu. Mas não é bem assim... Ele é uma pessoa mais passiva e eu meio para frente. Ele diz que gosta disso, porque eu acabo dando um choque nele! Com essa minha busca louca por viver, descobrir, questionar, ele acaba seguindo junto. Ele mesmo diz que nunca teria ido ao Marrocos, Turquia, Egito, sem a minha teimosia. Teria ficado só mesmo na Europa clássica. Hoje, ele acha o máximo, os amigos dizerem: cara, você sabe mesmo aproveitar a vida...

Para algumas pessoas ele virou eu, mas a verdade é que nem se ele quisesse... Eu ainda consigo sair na frente dele! Nem eu consigo ser igual a mim... Canso antes de me copiar.

Mas seu ponto é interessante de ser abordado.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Paola, essa história de ter que virar um... A gente não consegue nem conviver com a gente mesmo, imagina ainda ter que ser outro...

Mal sabemos quem somos, o que realmente queremos. Ai se agarrar no outro acaba sendo uma maneira de pensar: é isso o que eu quero!

Mas não é... Ser ser humano é se reinventar diariamente e não é possível fazer isso vivendo para o o outro...

Renata C., UMA ESPOSA EXPATRIADA disse...

To na manicure! Lendo e amando, mas nao da pra teclar tudo o que quero falar! Kkk! Volto depois!

Anônimo disse...

olá! fiquei curiosa pra saber como "Está provado cientificamente que as mulheres são como massinha, se moldam ao homem".
Eu, como uma culturalista, não acredito em generalizações...
bjinhos

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Re, fazendo a unha na Thailandia? Inveja total... Esperando uma resposta para ver se vou esse ano... E esperamos você voltar depois com a sua opinião.

Anônimo - Lindona ou lindão, desculpe minha generalização, se assim lhe pareceu e pelo visto lhe ofendeu. Não vou buscar onde está a pesquisa, nem sei se existe, foi maneira de dizer, coisa que li por ai e que presencio diariamente. Quem mora no Planeta Terra, sabe que na maioria dos casos quem gosta de xuxu e passa a dizer que não gosta por causa do marido, é a mulher. Mas não vamos sair do foco... Respondendo em consideração à sua presença por aqui, beijos.

Anônimo disse...

perguntei sobre a comprovação científica pensando que realmente pudesse existir, e não por resultado de uma ofensa. Como cientista social, o meu universo está fora do senso comum, do que se vê por ai tomado como regra.
O que me incomoda, ai sim, é a ratificação de estereótipos homem/mulher, o que, ao meu ver, reforça a ideia de que homens e mulheres são "naturalmente" diferentes.
Por favor, condidere o meu comentário como uma tentativa de discussão, conversa, e não troca de ofensas.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Anônimo(a) - Considerado! Seja sempre bem vinda por aqui! Quanto mais gente dialogando melhor!

Beijos

Raquel disse...

Caraca!!! Boa pergunta!!!!

Agora não sei o que responder!!!

LICIA TATIANE disse...

Eu fui ele por muitos anos,eu era praticamente uma casa abandonada que quando o dono abri a porta olha e fecha de novo com preguiça de fachinar e nem sabe o que fazer com ela...até que um certo dia do nada resolve entrar e comecei a abrir as janelas para ver o sol,fachinei e redecorei ao meu gosto e nunca mais abandonei.Eu vejo isso diariamente na minha profissão,mulheres falando:"não corto cabelo curto porque meu marido não deixa ou meu marido não gosta!!!!" Tenho uma amiga que para todo lugar que o marido vai ela tem que ir,"Tate não queria sair,mas B quer que eu vá".Aff!A minha revolução começou pelo cabelo,o meu era enorme,resolve deixar sempre curto,no dia do corte minha colega perguntou:Seu marido vai deixar?A minha resposta:"Deixando ou não corto do mesmo jeito,se gostar de mim tem que gostar até careca". Isso é uma triste realidade,é como morrer em vida!Beijos Flá.

Eu, Damaris, para mim... disse...

Realmente este post arrasou Flávia, e os comentários(li todos) estão tão bons que nos fazem pensar ainda mais.
Num primeiro momento penso que não anulo minha vida, meus sonhos em função do casamento. Mas ao pensar melhor vejo que existe algumas realizações que eu faria se não estivesse casada. Isso me coloca para pensar e analisar. Acabei percebendo que até alguns gostos por comidas eu adquiri na convivencia com meu esposo. Ele, não me lembro se adquiriu um costume meu...rsrs, pois é.
Vou precisar pensar a respeito deste assunto e identificar onde é que estou me anulando...

Lu Souza Brito disse...

Flavia, mais que demais seu post.
Uma reflexão para todas nós mulheres: solteiras, casadas, enroladas, enfim.
Eu sou casada e olha, confesso que no inicio a gente fica tão idiota para agradar, sei lá mais o que que acaba virando massinha do homem. Mas depois que isso nao nos faz bem / nem a relação.
Hoje eu não deixo me manipular. O que eu penso, estou convicta, faço. Não passo por cima dos meus sonhos por causa dos outros.
E vejo que ele me respeita mais por isso. Mas isso também vale para ele. Homem quando cede demais, deixa de ter personalidade para agradar a gente perde a admiração. E admiração, amor, tesão anda tudo ali ó, coladinho.
Beijos

Dahiane disse...

Muito bom esse post!!! Você conseguiu traduzir bem o "conflito social-pessoal" que a maioria das mulheres vive hj em dia. Precisamos msm ser nós mesmas dentro das relações. Afinal, numa relação há necessidade de admiração mútua para que o amor prevaleça e se solidifique. Parabéns! :)

Mabby - Entrelinhas Femininas disse...

Olá!
Eu achei fantástico esse seu texto! Leio o blog há algum tempo, mas esse eu precisei mesmo comentar! É impressionante como eu penso exatamente igual e como me irrita ver mulheres tão bem sucedidas profissionalmente, mas que não tem o mínimo de personalidade e pulso firme quando o assunto é relacionamento!
Penso assim: se a gente não se valoriza, quem o fará? Um relacionamento vive, também, de admiração... e para onde vai a admiração de uma pessoa que "se vê no espelho"?
Beijos e parabéns.
Belo texto!

Renata C., UMA ESPOSA EXPATRIADA disse...

Realmente concordo integralmente com o que vc escreveu. E' um tema que volta-e-meia busco discutir la' no BLOG. Sabe o que mais? MANDEI O LINK DESSE POST PRO MARIDAO!
kkkkkkk!
Mil bjs! e parabens!

Sam Passos disse...

Não, Flavinha, 5 anos solteira... eu namorei 1 ano (2010) virtualmente, terminou pq eu cansei de esperar que ele se mexesse... affff... ficava só me enrolando, aí eu disse: "pois vá enrolar sua mãe"... aí ele deve tá lá, não sei como, mas tb não me interessa... kkkkk... não desejo mal a ngm, mas não aceito ngm me fazer de besta... e eu não tenho mais todo o tempo do mundo pra esperar por quem não ficou de vir. Pq eu já to me achando velha, ainda mais pq quero ter filhos e não quero ter filhos depois dos 35... mas pelo visto eu vejo que só vou ter mesmo depois dos 30, pois já caminho nessa direção... kkkkk... gente, arranjar o marido tá mais difícil que achar a agulha no palheiro... kkkkkkkk.... e não é pq a sociedade impõe, é que eu quero meeesmo casar... mas vamos ver o que acontece! Bjssss.... :)

Renata C., UMA ESPOSA EXPATRIADA disse...

Quando eu estava na manicure (kkkk) estava cheia de letrinhas para escrever! Depois, resumi (kkkk) enviando o link pra Maridao. Morro de medo de perder a essencia, sabe? E estou sempre "ligada" nisso. Tenho ate' uma "brincadeira" com o marido: volta-e-meia pergunto: quando vc me conheceu com que roupa eu estava, o que eu te falei que te impre4ssionou, o que te cativou, eu trabalhava? eu era alegre? era magra? (kkkk - pula essa), e por ai vai. E' feito um jogo e no final eu digo: nunca esqueca a mulhger que VC escolheu e que GOSTOU, pois a essencia nao muda e eu nao vou deixar (ainda bem!) de ser daquele jeito! melhorando a cada dia, claro! mas na essencia... nunca! Mil bjs!

Mah disse...

Eu precisava ouvir isso, as vezes entramos em fases da vida de um relacionamento que ficamos sem respostas para o que acontece, palavras bem escritas esclarecem duvidas que nao deixam a gente pensar em mais nada. Só digo uma coisa, obrigada!

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Mah! Que bom!

Esse post me deixou muito feliz. É importante para todas nós, até as muito felizes no relacionamento, sobre onde nós estamos na relação. E nem sempre é fácil encarar que estamos mais distantes de nós mesmas do que podemos imaginar.

Não é fazer mudanças drásticas, mas ir fazendo ajustes e viver cada dia mais feliz!

Beijos

Anônimo disse...

Flavia,
Adorei o texto!!
Eu serei eu mesmo que todos pensem o contrário.
Sou a favor de um relacionamento feliz( se é namoro, rolo, casamento, caso ou qualquer nome).
Passei 1 e 3 meses sem namorado e hoje por ironia do destino iniciei um namoro com um cara mais novo...enquanto a sociedade crítica, eu sou feliz!
Beijos

Eu me basto!!!


Alailza Alves

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...