quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Relaxe!Sua amiga pode dizer que transa mais que você, mas é artesanal ou em série?

“Existe hoje, por um lado, uma hipervalorização discursiva do sexo... Minha impressão é que a média das pessoas tem pouco prazer sexual. Elas têm uma vida sexual muito reduzida. A maioria dos casais transa pouco e porcamente. Transa frequentemente por dever.”

Essas são palavras do psicanalista Contardo Calligaris na revista Lola desse mês. 

Num mundo onde tudo é tão exposto, o sexo é o último estágio de preservação. E, se ao menos as pessoas fossem honestas seria fácil conversar.

A amiga de uma amiga tem 5 filhos e acredite, separou do marido, porque ele é brocha. Ai, você logo pensa o que eu questionei: “pera lá... O cara te deu 5 filhos! Sendo que 3 foram sem querer. Conta outra!”

Nos primeiros meses, anos, até um beijo te leva ao orgasmo, tudo é bom. Mas o tempo é implacável.

Uma mulher normal, que chega em casa cansada, com contas a pagar, cabeça cheia, filho no ouvido, coloca a roupinha de onça e manda ver! Como se o mundo tivesse parado. Não parou. Enquanto o homem manda ela abrir as pernas, pensamentos também invadem a cama: o filho vai adentrar a porta, o relatório que tem que entregar, a roupa que vai usar na reunião de amanhã, o carro que deu problema, a depiladora que desmarcou seu horário.

O pênis vai levantar, você vai fingir ou forçar prazer e dizer à sua amiga que transa uma vez na semana:

- Só!? Que horror! O relacionamento de vocês anda mal?

Sim, mas ela transa no momento de relaxamento, com calma, no clima, de verdade...

Essa é a sutil diferença entre o artesanal e o mecânico. O artesanal tem mais valor, porque é pensado, cuidado, sagrado. Já o mecânico é feito em série, sem pensar, é só apertar o botão cerebral que ele segue o roteiro. 

E nessa hora, ditados populares caem muito bem: Quantidade nunca foi sinônino de qualidade. Quem muito fala, pouco faz. Cão que ladra não morde. O melhor da festa é esperar por ela. 

Uma rapidinha é bom, mas, se entregar aos problemas semanais sem culpa, sabendo que o um dia na semana é "O dia D"... Expectativa faz parte. Não é conversando com amigas num bar que seu sexo será melhor, essa é uma conversa que só terá efeito se feita com  o seu parceiro, entre quatro paredes. Se está ruim é preciso conversar, ouvir o outro, falar de suas inseguranças. E não ficar forçando quantidade para maquiar a realidade.

E, para essa conversa, é preciso ter mais do que as calças abertas, é preciso ter a mente aberta para se reinventar e ter um sexo que pode até não ser tão frequente, mas será tão bonito como um lindo quadro pintado à mão. Artesanal.

Por isso, quando sua amiga contar vatagem, não se sinta frustrada: Relaxe! Ela pode dizer que transa mais que você, mas é artesanal ou em série?

12 comentários:

Luciana disse...

Eu só fiquei um pouco surpresa em saber que o povo fala quantas vezes transa com o marido e que contar o número de relacões sexuais por semana causa inveja ou faz diferenca. Achei que isso fosse mais coisa do BBB11 onde todos precisam falar desesperadamente de sexo, o que fazem, como fazem e com quem. Mas vejamos bem que a galera ali dentro da casa ainda é razoavelmente jovem, ou vive num mundo a parte.
Na vida real achei que não fosse tão comum assim esses papos.
Quando eu era solteira, eu e amigas, a gente contava algumas coisas, mas mais de quem a gente pegou ou deixou de pegar na balada, se o cara era interessante e em que sentido. Mas nada do tipo: "Foram 5 essa semana."

Hoje em dia, já casada e minhas amigas a maioria é casada, a gente não fala tanto de sexo assim e muito menos de detalhes da alcova, principalmente com relacäo a números, sei lá, quem não tá feliz com quantidade ou qualidade tem mais que ir atrás, não precisa choramingar pelos cantos. E quem tá se achando em questão de números ou qualidade, contar vantagem. Estranho ou sou eu?

Ah, mas sei também que muita gente precisa de medidas para ser feliz, de um padräo a seguir ou a tentar ditar, talvez até nisso.
Beijo

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Lu, você sempre com bons comentários!

Sabe que eu não vejo BBB, nem critico quem vê. Só não é a minha praia. Porém, andei dando uma olhada nos últimos dias. Acho que ele representa o que é o Brasil. É gente de todo canto, idade, condição financeira. Tudo num caldeirão que, no fim, mostra que somos todos iguais e que aquele é um pensamento presente na sociedade.

Se lá exala sexo, se o tema é banalizado, é porque está ficando assim em todo canto.

Vivemos em um país onde quem não transa é discriminado. Onde quem disser que não usa uma calcinha sexy é antiquada. Onde quem diz: "não sou chegada a sexo", é frígida.

Como o psicanalista disse: há um excesso de falação sobre sexo. É na escola, em casa, no bar...

Por outro lado, das minhas amigas que casaram com estrangeiros, vejo que a questão do sexo não é algo tão importante e enaltecido como no Brasil. É como se vivêssemos em uma obrigação constante de estar 100% na cama. "Senão o marido vai embora, hein..."

Por mim, vai tarde, eu só faço quando quero, exijo romantismo, vinho, flores.

Tenha certeza de que esse texto vai encontrar muitas mulheres que vão respirar aliviadas. E muitas outras que vão tomar coragem de conversar com o marido. Porque homem é difícil de admitir que não está satisfazendo a companheira... E muitas mulheres também não encontram coragem para repensar essa parte...

Malu disse...

Eu sempre tive essa impressão...de quem fala muito, pouco faz....sabe aquele blá de vendedor...rsss... então, parece que as pessoas querem muito vender seu peixe, mas na maioria das vezes paga sapo....
Quem tá se dando bem, fica quietinho...hehe...pra que? Atrair olhares invejosos para a relação...hum...para né...
As revistas femininas hoje falam bastante de sexo, até incentivam o sexo casual...acho legal dicas e tals, mas não acho legal incentivar o sexo sem compromisso, eu escuto mt cara falando, pra que pagar se tem de graça? Não que a mulher não possa ter seus desejos, se realmente é isso que ela deseja, não sou eu quem vou recriminar.Mas é só minha opinião....
Para mim sexo não é amor, o amor precisa nascer primeiro para depois rolar o sexo...hehe... não são a mesma coisa, mas estão de certa forma ligados....

Sonica disse...

Olá Flávia!
Como sempre, menina instigante, nos leva a pensar...
o sexo artesanal é bem mais gostoso...E talvez deixado de lado por conta de tanta correria e de tanta competição!
Muitos querem ganhar deles mesmos, não curtem mais nada que não seja expresso, rápido, "da hora"!
Como é bom a tranqüilidade, a leveza, o carinho bem feito, sem pressa, a curtição sossegada...aí, que delícia uma champagne borbulhando, uma música tocando...
Bjs,

Erika Saab disse...

Ai, que texto ótimo para as vésperas do carnaval, quando a maioria está se preparando para beijar num dia tudo que não beijou o ano inteiro só para contar vantagem depois rs Eu tenho um lema, "aproveito mais a vida in off". Quanto mais o povo conta vantagem por aí, que faz e acontece, mais eu fico no mistério. Para mim, em tudo, qualidade é muito melhor que quantidade! Artesanal é o canal rs. Beijos.

Ella disse...

Eu nunca gostei de falar da minha privacidade porque não vejo necessidade. Acho que não interessa a ninguém quantas relações sexuais eu tenho durante a semana... nossa, que doideira, kkkkkkkkkkkkkkk !

Acho que falam em sexo por falta de cultura mesmo, coisa de gente que não fala sobre pensamentos, sentimentos, livros que leu, curso que fez. Nosso povo anda muito burro, muito chucro,falar sobre cultura virou coisa de gente "chata" e o povo só fala sobre sexo, esmalte, moda, iphone, o que comprou , deixou de comprar... não tenho paciência para essas coisas fúteis.

Me sinto vazia quando estou com pessoas que só tem esse tipo de assunto.

Eu vi que está respondendo agora por aqui mas adoraria que lesse meu post. Estou falando sobre uma coisa que aconteceu comigo e que inclusive você poderia usar como tema para um post seu: estão me caluniando. Isso em deixou muito triste e com menos vontade ainda de falar sobre mim e minha vida para as pessoas que eu conheço.

Um grande abraço, conto com sua visita !

http://blogpensamentosesentimentos.blogspot.com/

Albuq disse...

Ouço cada uma das minhas amigas que prefiro nem comentar minha vida parada kkkkk bjsss

Cheers! Fla disse...

Olha Fla, nao acho que esse eh um tema atual, morando no Brasil eu sempre ouvi papo de transar muito, que quem nao transa no minimo 7 vezes por semana nao tem uma vidal sexual saudavel, e mais, aquele negocio que se a mulher nao quiser transar no minimo 7 vezes por semana o cara vai arranjar outra, etc, etc.
Acho que eu tive 1 amiga que conseguia falar mais sobre sexo e ela comigo, mas de resto eu nunca me senti a vontade para falar sobre sexo, sei lah, acho bem pessoal.
Aqui na Inglaterra eh engracado, jah assisti varios programas falando de como os ingleses nao gostam de sexo ha, ha,ha,

bjs

Luciana disse...

Flávia, o que me causa estranheza näo é a quantidade e qualidade ou falta das duas entre um casal, mas o fato da mulherada ficar se comparando, falando sobre isso. Até acho que falar com o marido é válido, claro, e vice-versa, mas sair contando números para as amigas é estranho, como também estranho as outras invejarem ou sei lá o que, a quantidade de relacões da amiga com maridon.Digo isso com relacäo a amigas casadas com estrangeiros ou com brasileiros, minhas amigas näo abordam com frequência e nem fazendo contas sobre isso.

Comentar algum problema no setor com uma amiga muito íntima, ainda acho válido.

E vou te contar que isso de brasileiro ser o bam bam bam na cama é mito, é tudo igual, vai variar de pessoa pra pessoa e não de nacionalidade. Aproveito pra desmistificar que os italianos säo os melhores amantes do mundo. E também o tamanho do 'documento' não tem a ver com raca nem nacionalidade, kkkk

E o BBB11, onde estäo descobrindo o beijo e etc, eu na verdade não assisto porque moro aqui e não tenho tv brasileira em casa, mas leio uns blogs que escrevem a respeito e vou vendo uns vídeos. Também acho que reflete muito o que acontece no Brasil, pessoas. Só me surpreende eles saberem que estäo num programa e tentarem apelar mais ainda do que na vida real.

Ih, vou ler os outros comentários.

Beijo

Luciana disse...

Pelo visto, pelo menos a maioria das mulheres que comentaram, näo pautam as conversas sobre o número de relacões que teve na semana.

Eu fico pensando como chega estranho uma mulher dizer pra amiga: "Dei 6 essa semana!" kkkkkkkkk

Já quanto a sexo casual, se a pessoa, homem ou mulher, näo está em um relacionamento, não tem nem um peguete (por exemplo), não vejo nada demais, até acho bem interessante.
Mas não pode ser uma questäo de que os carinhas vão pensar que estão tendo de graca, ela faz pelo prazer dela, e o carinha que rale também, afinal fazer sexo casual e ralar pra dar prazer sem ter, não vale nada a pena.

Beijo e um ótimo final de semana!

Anônimo disse...

BOM EU NAO TRANSO MUITO...

AS VEZES FICO SEMANAS SEM DAR UMA..

MAS TB QUANDO EU PEGO

EU RASGO A MUIÉ NO MEIO DE TANTA PIKADA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...