segunda-feira, 18 de abril de 2011

Dá para ser gordinha,"normal", bonita e feliz? Ou só estamos forçando a barra?

Quem foi que criou essa relação de ódio entre o espelho e a mulher? Os estilistas? Ou será que nos matamos com ele porque "ele" é masculino e vem de Marte?

Seja lá o que for, a culpa é nossa. Regamos esse sentimento para que ele nunca morra. Reclamamos da ditadura da moda, assim como reclamamos dos homens safados, mas criamos nossos filhos à mesma maneira. "Segura sua cabra, que meu bode está solto!" Assim, reclamamos da ditadura da moda, mas criamos as filhas no mesmo estilo, para se adequar e sustentá-la .

Vira e mexe, jornais e revistas mostram gordinhas com a autoestima lá em cima, mas é mais bizarro do que um estímulo a autoaceitação.

Anda circulando por aí, a tal mulher da página 194 da revista Glamour. Um desserviço. Vamos combinar que  aquela barriguinha pendurada  é feia e ponto. Andei vendo outras fotos da modelo, de frente e não é feia desse jeito, é simplesmente... normal! Por que colocaram seu pior ângulo se quando vão fazer fotos das magras nunca publicam suas piores fotos? Porque elas existem.

As "normais" pedem mudanças, mas elas mesmas não mudam. É fácil criticar a mídia, mas após ler a Glamour, as "normais" correm para a Boa Forma, que traz na capa mulheres inatingíveis.

Na semana passada, uma leitora aqui do Depois dos 25, a Ana Santos, deixou um desabado de fácil identificação:

"...Por mais que eu tente me convencer que o padrão social imposto é cruel, que eu preciso me aceitar como eu sou, nem sempre isso funciona como deveria. É difícil para mim, conviver com os muitos quilos a mais. São seis anos brigando com a balança e com a terapia... Eu vejo as fotos antigas em que a ansiedade não havia dominado meu manequim e me pergunto como permiti que isso acontecesse. Talvez você me encontre um dia e diga “ah, mas você nem é tão gorda assim”, mas a questão está no que o espelho aponta pra você (e a balança também).

Juro que eu queria ser uma pessoa bem resolvida, minha terapeuta ficaria super orgulhosa disso, tenho certeza, mas não dá, ainda não ‘evolui’ a este ponto... Brinco com o fato de vestir mais do que os aceitáveis 42 do “Esquadrão da Moda... o mundo precisa mudar a “ditadura da forma de iguais”. "

E nossa guerra com "o" espelho continuará, enquanto "Déboras Seccos" estamparem a capa da revista todos os meses e mulheres normais só aparecerem na época da Páscoa ou escondidas na página 194.

Por isso... Fica a pergunta já que a Páscoa vem ai: Dá para ser gordinha, "normal", bonita e feliz? Ou só estamos forçando a barra?

23 comentários:

Jan Samuel disse...

Você escreve fantástica
Desejo a você ea sua família uma semana abençoada

Você está convidado a visitar nossos blogs
http://livetshage.blogspot.com/

Se você visitar a página abaixo, você pode traduzir
http://translate.google.no

Saudações
Solveig e Jan
Noruega

Erika Saab disse...

Flávia, eu acho que as pessoas confudem muito as coisas, a moça da página 194, não é gorda, não é nem gosdinha, ela tem uma gosdura localizada apenas em uma parte do corpo, coisa que se resolve rápido, se ela quiser, mas que dá para conviver com isso. Também não são gordas as mulheres que tem um tipo físico diferente das passarelas e números de roupa não definem isso, a calça da Jeniffer Lopez, que foi considerada a mais bela das belas agora, com certeza não é 36, a beleza é um conjunto e às vezes pequenas coisas que a mídia pode citar como defeito, em uma determinda pessoa não faz tanta diferença no todo. Existem mulheres com mais curvas, outras com menos, com execessos em determinados lugares, outras em outros, mas nada disso pode ser considerado como obesidade, está sim é a grande vilã, por isso acho que deve ser combatida e não aceitada, porque é um problema de saúde não de estética e acho difícil que alguém que tenha um problema de saúde para lidar todos os dias da sua vida possa estar satisfeita de verdade. O absurdo é se ditar um único padrão de beleza, de um único biotipo, mas combater o excesso de peso que prejudica a saúde é necessário, ainda mais que hoje nós sabemos que ele é reflexo da nossa má alimentação, da festa das comidas industrializadas e fast food, de pratos cada vez menos saudáveis, do sedentarismo da vida moderna por conta dos dias corridos e da má qualidade de vida do homem de hoje!

Ana Paula disse...

Não, não forcemos a barra nunca!
Esse esteriótipo precisa ser quebrado e, sempre, a partir de nós mesmas. Eu pratico corrida todos os dias, faço musculação e controlo muito minha alimentação.
Porque quero ser saudável? Claro.
Mas também por que quero ficar mais bonita? Claro também...
Não acho de bom tom entender que são conceitos contraditórios.
O que eu não sou é o esteriótipo de novela das 9 ... não é o equilíbrio entre vida saudável e busca por um corpo bonito que é equivocado...é o excesso...
Beijos!

Palavras Vagabundas disse...

Só posso dizer uma coisa a moça da pg 197 é bonita, por que escolheram uma foto escrota mostrando a barriguinha? Para você se aceitar mas lembrar que existe lipoaspiração, aff...
bjs
Jussara

Huandra Siqueira disse...

Olá! Eu vim aqui representar o outro lado da moeda. Todo mundo só fala do quanto as gordinhas sofrem, do quanto suas vidas são carregadas de preconceito. Mas vocês acham que ser magra demais é bom?! Claro, “pras” modelos isso é ótimo, afinal, a profissão exige isso. Mas e “pras” pessoas “normais”, que não usam de seu peso para sobreviver?
Olha, estando na pele de uma posso dizer: a sociedade é hipócrita! Pelo menos a brasileira. Vejo muitaas entrevistas como essas, mas no dia-a-dia sou pressionada pelas pessoas com frases do tipo: “Nossa! Quando você vai engordar?”, “Menina, como você é magra”, “Você não come não?!”. Os homens NÃO gostam das magras e as outras mulheres acham que são melhores do que você. A busca pela perfeição atinge tanto gordas quanto magras. Eu só não sei onde isso vai parar!
Pronto! Desabafei...rs

Beta disse...

Eu sinceramente acho que dá sim.
Esta moça da foto não é gordinha, ela apenas tem pelanquinhas...rs

Mas cada um tem um tipo de mente.

Acredito que a pessoa precisa ser feliz, encontrar sua felicidade.

Se não está feliz com seus quilinhos à mais, vá fazer exercícios, dieta, redução de estômago, enfim...

Busque sua felicidade, mas não pense que ela estará dentro da academia ou após uma cirurgia, ela está dentro de cada uma de nós...

bjkas

Cláudia Acourt disse...

Flavia, farei uma critica mas espero que possa ve-la de forma construtiva e, pense que estou falando no tom de voz que vc ja conhece, ok?
Voce fez um texto perguntando se podemos ser feliz como somos sem aceitar os padroes da midia, desceu o pau nos meios de comunicaçao mas reforçou a idéia que tenta combater. Nao faz sentido!
No texto vc fala de desserviço, elabora todos os pontos negativos da imagem assim como faria a revista Boa Forma para convencer que Debora Secco è o ideal a ser seguido.
Ao ver a foto da modelo a primeira coisa que me chamou a atençao foi a beleza dela, sua forma farta (que eu acho lindo) e entao a barriga. Concluì: é linda, mesmo com uma barriga feia!
Ano passado eu li uma materia desta modelo que faz parte de um grupo de mulheres que combatem os esteriòtipos para aceitar-se como sao. Achei louvàvel pois ela mostra justamente uma normalidade e me passa a menssagem: eu tbem sou bonita mesmo sendo flacida e grande.
Acredito que culpamos muito a midia mas vivemos no comodismo e nao fazemos nada para mudar. Até dizemos que fazemos mas è muito pouco para que haja uma transformaçao que possa produzir o que realmente desejamos: ser feliz.
Somente para contextualizar, lembra do filme Matrix? Ele è descrito como uma ficçao cientifica, para mim deveria ser drama realista pois fala de uma grande realidade: pessoas com pensamentos controlados e que pensam que sao livres. Como hoje, nao é? Quem tenta sair fora desta ordem è chamado de irresponsavel, lunatico, (in)conformado etc. Mas è possivel viver em paz com o espelho começando com o autoconhecimento e valorizando as qualidades e pontos fortes.
O restante do que penso a Erika Saab disse primeiro, entao faço dela as minhas palavras.
.
Bjos

Malu disse...

Estou falando tb do outro lado, concordo com a Huandra....
Já faz um tempo que isso acontece, mas só quem é magra que percebe...está se criando um certo preconceito para quem é magra, agora toda magra tem anorexia, tem pessoas que olham para a gente com aquele ar de, você não come?
Daí vc lê nas revistas as pesquisas, os caras dizendo, prefiro mulher encorpada, com bunda e peito grande, rss, nem a querida Debora Secco tá na lista, pq ela é magra e se não fosse pelo silicone, não teria mt peito...hehe
Eu digo que é tudo viagem, pq cada homem tem uma opinião, tem cara que adora uma magrinha, já tem outro que prefere a gordinha, tem público para todos os tipos e gostos...hehe
Eu só acho que as pessoas deveriam respeitar um pouco mais os tipos físicos das outras pessoas, pq comentários maldosos estão por toda a parte...
Se achar bonita, se aceitar como bonita da sua maneira é o caminho para a aceitação...eu sei que tem horas que dá vontade de quebrar o espelho...rss...a felicidade atrai mais gente do que um rosto fechado cheio de auto-crítica...

Renata C., UMA EXPATRIADA (esposa, mae, mulher...) disse...

Como de costume, adoro como escreves, e se me permite, te convido e a todos os seus leitores a ler um POST ANTIGO meu nominado "ESPELHO, CRUEL ESPELHO MEU".

Aqui o':
http://umaesposaexpatriada.blogspot.com/2009/12/espelho-espelho-meu-espelho-cruel-o-seu.html

Mil bjs!

Missionária Bella Dourado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Missionária Bella Dourado disse...

Claro que podemos ser, gordinhas felizes, gordinhas com bom senso e vestir-se elegantemente.
Também é possível ser magrela e linda.

Ambos os lados da moeda apresentam problemas a quem convive.

Gordura em demasia é obesidade e deve ser tratada; magreza em excesso pode ser anorexia e também deve ser tratada.

A mulher pode ser linda, perfeita no índice ideal para o nutricionista , mas se ela estiver infeliz, vai continuar infeliz e poderá direcionar isto ao corpo.

Passei dos 25 Linda, e estou antes dos 40 bonita , mas em alguns dias Diva, rs,rs,rs

Eu sou feliz - meu marido é benção e se o espelho me diz vc ta linda mas o peso ta demais vamos caminnhar, pego meu mp3 e saio em uma semana volto a ficar na forma que condiz com meus 37 anos e mais feliz ainda.

Bjão a todas gordinhas, cheinhas, magras, magrelas, bjão a todas nós mulheres abençoadas detentoras do mecanismo de hospedar a vida!

Carol disse...

eu to sim fora dos padrões.. to gordinha e num sei como... tenho trabalhado tanto, nem comdireito e ainda vou na academia.. estress engorada sim, bora durmirrrrrrr

Flavia Mariano disse...

JAN, obrigada pelas palavras, dou um pulinho lá depois.

Abs!

ERIKA
Você sempre contribuindo com um olhar de psicóloga descolada! Seus comentários sempre ensinam.

ANA, respondendo aqui, mas não esqueci da visita que estou devendo!

Beijos

Flavia Mariano disse...

RENATA! òtimo convite, obrigada, vou lá dar uma olhada, adoro ler seus posts. Beijos.

CAROL
Você é tão magrinha, o que aconteceu? Dubai está engordando você?

HUANDRA
Anote ai, não há comparação de ter que emagrecer e ter que engordar. Entendemos sua angústia, mas tenha certeza de que o olhar para uma pessoa gordinha tem muito mais crítica do que para uma bem magrinha... Mas ok, desabafou! Aqui e no Facebook! rs

Beijos

Flavia Mariano disse...

Jussara - Palavras vagabundas,

dei boas risadas com sua consideração. Agora entendo o motivo...

Beijos

Flavia Mariano disse...

CLÁUDIA

Você é uma das que pode dizer o que quiser por aqui, assim como a Érika, vocês sempre contribuem demais para o debate, com seus comentários.

Só tenho a agradecer por mostrarem um outro lado, além do que vejo.

Beijos

Marcinha disse...

Eu sei bem como é essa ditadura de ser magra, depois dos 25 anos pulei do manequim 36 para o 40 com uma velocidade incrivel e me sinto horrivel as vezes, culpada quando como, mas as vezes nem é por mim porq me olho no espelho e não me vejo enorme como ouço as pessoas dizerem que estou, tipo nooossa como vc engordou ou como dessa ultima vez em que fui comprar um body de oncinha e meu marido disse que mulheres como eu que estão acima do peso ficam feias com este tipo de roupa aff, foi duro ouvri isso mas eu vesti e me senti bem e disse pra ele que se dane se alguem achar feio eu acho bonito mas no fundo me doeu e confesso que quando usei me peguei por varias vezes muchando a barriga ou quando estava sentada colocando o braço em volta da cintura para esconder as dobrinhas é dificil queria voltar meu corpo escultural que tinha a uns anos atras, mas meu metabolismo não responde como antigamente fazer o que né, se o mundo fez uma lavagem cerebral na cabeça de todos e ensinaram que mulher bonita é mulher magra.

Flavia disse...

Flavinha, acho que dá, se a pessoa se sente bem assim. Eu, definitivamente, não me sinto.
Mas cada um na sua! Só não concordo com quem passa uma vida inteira brigando com o próprio peso e esquece que a sua identidade não se resume a um número na balança.

Ai ai, me sinto tão honrada com sua presença no meu blog!!!!
Torço pra que sua reforma acaba o mais rápido possível e dê tudo certo!!!Beijos!!!!!!!

kathlira disse...

Amei o post...acho que nao conheco nenhuma mulher que nao tem insegurancas com o corpo! It sucks!!!hahaha Sou super a favor de aceitar o formato que temos mas claro usar roupas e acessorios que deem uma ajudinha, right!!!
xoxo

Ana Santos disse...

Entendo perfeitamente a Marcinha... aliás, eu cresci numa casa em que minha mãe trabalhava para uma famosa grife de biquinis, me acostumei com a ditadura das magras. Acostumei mas não enquadrei. Desde 2005, são quase 35 kg de ansiedade distribuidos pelo meu corpo. O pior é saber dos efeitos para a saúde física e mental. A sociedade nos trata como aberrações se você não entra num vestido M. Eu contei outro dia no blog o que fizeram comigo: uma mulher muito mal educada disse 'você era tão bonita e olha no que você se transformou' (quem quiser pode ler tudo aqui: http://tinyurl.com/4x358r3), não foi fácil ouvir aquilo, não mesmo, mas será que agora a próxima caça as bruxas será caça aos obesos?
Pessoas muito magras sofrem certa discriminação? Sim, mas é muito mais fácil ouvir algo perjorativo falando dos gordinhos do que dos magrinhos.
A sensação que tenho é que a vida acontece melhor para quem veste, no máximo, 42.
Pode ser que a sociedade um dia mude, aceite melhor as pessoas que não estão nas formas, mas até lá,
é inegável que quem não faz parte dela sofra um pouquinho.

Beijos carinhosos,
Ana Santos
www.escritoraemconstrucao.blogspot.com

Malu disse...

Ana...
Fui lá ler o seu texto...hehe
Fiquei chocada com aquela mulher, nossa como tem gente sem noção...
Mas vc está certa, muita mais fácil ouvir alguém falando algo desagradável sobre pessoas que estão acima do peso...a sociedade é cruel com quem não está dentro dos parâmetros exigidos...tudo começa desde lá no colégio e vai seguindo a idade...Só que nessa parte da vida, a gente tem consciência de aceitar que isso existe e que nós não podemos ser perfeitos, devemos sim é nos aceitar, se vc quer fazer um regime para se sentir melhor? Então faça...Se quer colocar silicone? Coloque se tiver condições...a gente precisa aprender a procurar o nosso bem-estar, nos permitir....

Luciana disse...

Eu acredito que dá sim pra ser normal, gordinha bonita e feliz. Fiz uma salada das palavras do título.
Eu estou gordinha e estou feliz. Gostaria muito de perder uns quilos, mas näo pra ficar magra como Déborah Secco, que dá a impressäo de em movimento está passando uma fome desesperadora, isso afeta até o humor da pessoa, até acho que magra se for a base de passar fome, não tem como ser feliz. Digo a base de passar fome porque minha irmã é magra e come, come mesmo e não engorda e até gostaria de engordar um pouco.
Também acho que a moca da barriginha caída näo é gorda, essa pose inclusive é uma forcada pra que a barriga fique pelancuda, não é uma pose normal, foi proposital. Mas veja que nas costas nada de gordura, nada de gordura no rosto ou bracos...
Acho mulher bonita mulher normal, magra demais não transmite saúde, assim como gorda demais, claro.
Beijo

C. disse...

Eu seria muito infeliz em ser gorda, sinceramente. Acho que amor próprio, em primeiro lugar, e essa é a primeira condição para amarmos os outros!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...